Labrador falece uma hora depois da partida do seu dono. Ficou ao seu lado até o fim!

0
88
labrador morre ao lado de amigo

Não é de hoje que sabemos do vínculo de humanos e cães, no entanto, ainda podemos nos impressionar com suas histórias de amizade, de amor e cumplicidade, que podem ir além da vida.

Daniel Hove e seu cão Gunner protagonizaram uma história incrível de amizade e estiveram juntos até os últimos momentos de suas vidas. A história dos amigos foi contada em uma matéria da Kare 11, afiliada da rede de comunicação NBC, nos Estados Unidos.

 

 

Hove foi um bombeiro famoso em sua cidade e formou uma família especial, que sempre o amou muito. Sua filha Heather disse que ele era alguém confiável e que os demais profissionais o admiravam bastante.

Infelizmente, em outubro de 2011, uma notícia chocou a todos que conviviam com o bombeiro aposentado. Ele foi diagnosticado com câncer no pâncreas. Fez cirurgia e várias rodadas de quimioterapia.

Durante esse tempo, sempre esteve acompanhado dos familiares e amigos, que torciam por ele mas, entre todas as companhias, mereceu destaque a de Gunner, seu labrador.

Durante toda a luta do bombeiro, o labrador, que tinha 11 anos, recusou-se a sair do seu lado. Fotos da família mostram-nos sempre próximos, até mesmo uma caminha foi feita para o cão ao lado do seu grande amigo. Ele esteve com Hove nos momentos de alegria e permaneceu ao seu lado também nos de tristeza.

 

 

Com o tempo, no entanto, não se sabe exatamente por qual motivo, Gunner começou a adoecer também. Quando Hove se agitava, Gunner também se agitava; quando se sentia inquieto, o cão espelhava o seu comportamento. Assim era em todos os momentos.

Assim a família percebeu que a hora estava chegando para ele. Gunner faleceu no mesmo dia em que Hove, com diferença de pouco mais de uma hora. Embora ambas as perdas tenham sido muito difíceis para a família, Heather acredita que isso foi uma prova da verdadeira conexão que tinham.

 

 

A mulher disse que seria traumático para o cão viver sem a presença do pai dela e que, no fundo, a família já imaginava que os dois partiriam com pouca diferença de tempo, só não pensou que se trataria de apenas horas.

Heather ainda acredita que o cãozinho escolheu partir junto ao seu dono, pois não poderia ficar sem ele. Essa é mais uma prova da força do vínculo dos cães com seus donos. Permaneceram juntos até o fim!

Fonte: osegredo

 

LEIA TAMBÉM

 

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here