Funcionário

0
733

Porteiros, faxineiros, vigias, auxiliares de serviços gerais, controladores de acesso, ascensoristas, manobristas, assistentes administrativos, manutencistas e outros compõem a equipe que viabiliza diariamente a administração do condomínio, além do zelador e gerente predial, já citados.

Sejam próprios ou terceirizados, são peças-chave também na segurança do empreendimento, por isso é de extrema importância tomar certos cuidados na sua contratação.

Há momentos em que o síndico, atribulado com tantas preocupações e responsabilidades com a administração do condomínio, não presta muita atenção ás condições de trabalho de seus funcionários.

Mesmo porque a tendência é confiar no zelador, às vezes cegamente, a pessoa que o representa na maior parte do tempo.

É mais comum do que se imagina – o projeto não previu espaços específicos para o refeitório dos funcionários.

– O que fazer?

Improvisa-se! Procura-se um canto qualquer em toda a edificação para se instalar o aparelho de micro-ondas, a geladeira e uma mesa com algumas cadeiras, onde funcionará provisoriamente o refeitório.

O ático, um local sem ventilação (janelas), sem instalação hidráulica (pia), normalmente muito distante de banheiros (instalados nos subsolos) tem sido escolhido para abrigar o refeitório – temporariamente, chegam a dizer – , principalmente em condomínios comerciais.

Dois condomínios de Londrina/PR foram condenados a pagar indenização de danos morias a uma porteira, por não oferecer as mínimas condições de higiene para aos funcionários – a geladeira dos porteiros ficava dentro do banheiro, ao lado do vaso sanitário.

Mesmo um dos condomínios tendo recorrido, TRT da 9° Região manteve a decisão de primeira instância sob a alegação de que manter uma gerladeira no mesmo espaço das instalações sanitárias caracteriza situação degradante, diante de risco de contaminação.

 

 

TREINAMENTO

Requalificar ou treinar periodicamente todos os funcionários do condomínio é prática salutar, a render bons frutos em curto espaço de tempo.

O profissional vai se sentir valorizado, e ticar cada vez mais comprometido com seu trabalho.

Não pense o quanto custa aquele curso ou evento em que ele terá a oportunidade de assistir a palestras, frequentar cursos, trocar ideias e experiências com outros colegas de profissão, enfim, qualificar-se melhor e desempenhar suas funções com mais afinco.

– Isso não e gasto, é investimento!

Negocie com a empresa terceirizada, se for o caso, para que o efetivo a serviço seja periodicamente submetido a cursos de reciclagem e atualização, respectivas funções.

Também muito viável, costume adotado por alguns condomínios, é trazer profissional de fora, especialista em determinado assunto – extintores (ou equipamentos contra incêndio, no geral), segurança, elevadores – e promover treinamento in loco dos funcionários.

Cursos e palestras específicos também deveriam ser rotina aos condôminos, especialmente sob o aspecto da segurança.

Fonte: Práticas de Gestão Condominial – Orandyr Teixeira Luz (O condomínio & Você)

Gostou do conteúdo? Compartilhe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here