Vizinhos oferecem serviços e produtos dentro de condomínio

0
111

Serviços como manicure, salão de beleza, pet shop; e produtos como feijoada, hambúrguer artesanal, tortas, salgados e barca de acarajé são comercializados no local.

 

Com a instabilidade econômica, muitos baianos buscam empreender usando habilidades e criatividade para garantir uma renda extra.

Diante disso, vizinhos de um condomínio em Salvador passaram a oferecer serviços como manicure, salão de beleza, pet shop; e produtos como feijoada, hambúrguer artesanal, tortas, salgados e barca de acarajé.

Com o famoso boca a boca e a facilidade de divulgação por meio de grupos nas redes sociais, os condomínios se tornaram um ambiente adequado para fazer negócios, e um bom lugar de atuação para empreender.

Patrícia Caramuru tem formação na área de saúde, mas descobriu a paixão por bolos e salgados desde quando tinha 17 anos, que foi a época que começou a trabalhar no segmento. Hoje, além desses alimentos, ela vende massas integrais há três anos.

Empreendedorismo
Patrícia realiza encomendas e vende tortas e massas funcionais dentro do condomínio onde mora. — Foto: Gabrielle Gomes/G1

“Vi uma oportunidade de garantir renda na transferência do emprego do meu marido para Salvador. Atualmente eu atuo dentro do condomínio e faço encomendas para além dele”, conta.

Bahia é o estado brasileiro que tem o maior número de desempregados. De acordo com os dados apontados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), a taxa de desocupação é de 7,3%, e a maior parte está na faixa etária de 25 a 39 anos, seguidos pelos jovens de 16 a 24 anos.

Luciane de Oliveira, 46 anos, ficou desempregada e viu no condomínio uma alternativa para ajudar com as despesas da casa. Além de pães, salada de frutas e mungunzá, ela também faz transporte escolar.

“O boca a boca ajuda muito na venda. Carinho e dedicação são fatores fundamentais para obter excelentes resultados”, afirma.

Com a oportunidade de empreender em um setor pouco explorado dentro da unidade residencial, Elmo Nunes resolveu abrir um mini-mercado dentro do próprio apartamento.

O comércio funciona da seguinte forma: o cliente manda mensagem no grupo do WhatsApp informando o que deseja, e Elmo entrega na porta da pessoa. Com esse novo modelo de negócio, as redes sociais se tornaram um ambiente propício para vendas.

Fonte: G1

 

Leia mais notícias aqui!

LEIA TAMBÉM

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here