Vale investir em portaria 24 horas?

0
648

Apesar de encarecer o condomínio em até 70% ,o serviço é muito procurado

 

Por Gracielle Nocelli

O serviço de portaria 24 horas é um diferencial para os condomínios residenciais por oferecer maior conforto e segurança aos moradores. Mas contar com o trabalho de profissionais de forma ininterrupta também significa investimento. Os prédios que oferecem o serviço são mais valorizados e têm taxas de condomínio mais altas. De acordo com a estimativa do setor imobiliário de Juiz de Fora, este aumento pode ser de até 70%.

“Seis de cada dez clientes buscam pelo serviço (portaria 24 horas)”, afirma Heuder Santana, diretor da imobiliária Brasil Imóveis (Foto: Divulgação)

Apesar disso, a procura por imóveis com portaria 24 horas é grande. “Seis de cada dez clientes buscam pelo serviço”, estima o diretor da imobiliária Brasil Imóveis, Heuder Santana. Segundo ele, a preferência é tanto de quem deseja alugar quanto de quem quer comprar. “A cidade tem um perfil de atender muitos estudantes, e os pais preferem alugar um apartamento que tenha a presença do porteiro por uma questão de segurança”, explica. “Já aqueles que vão comprar pensam, também, no conforto daquele imóvel, que tende a ser definitivo.”

O gerente da imobiliária Universal Imóveis, Luciano Esteves, diz que o público da terceira idade também está entre os que preferem imóveis com portaria 24 horas. “Normalmente, os idosos criam uma relação de confiança e convivência com os profissionais.” Outra vantagem oferecida pelo serviço é com relação ao recebimento de encomendas. “É uma comodidade para os moradores, já que não se corre o risco do funcionário dos Correios não encontrar alguém em casa e a pessoa ter que ir à agência buscar.”

A oferta de imóveis que contam com a estrutura é diversificada. “Há desde os apartamentos menores, de apenas um quarto, até aqueles bem maiores. Os mais compactos, geralmente, estão situados em edifícios que possuem 14,15 andares e têm, em média, de seis a oito apartamentos por andar. A estrutura do condomínio é grande”, observa Heuder. Quanto à localização, há um número maior de prédios com portaria 24 horas na região central da cidade.

Os preços também variam. “É um serviço que encarece o condomínio em até 70%, mas o valor da taxa a ser cobrada dos condôminos depende do perfil do prédio. Este cálculo considera, por exemplo, o número de imóveis que irá ratear a conta e a oferta de outros itens que dependem de manutenção, como elevador, piscina e área de lazer”, esclarece a diretora do setor de condomínios da imobiliária Universal Imóveis, Alessandra Cristina de Paula Ribeiro.

Ela destaca que, além dos gastos com manutenção, a oferta do serviço de portaria 24 horas impacta diretamente na folha de pagamento. “O condomínio terá que arcar com todos os encargos trabalhistas dos profissionais, por isso, a taxa é bem mais cara em comparação ao prédio que não possui o serviço.”

Portaria 24 horas x Porteiro eletrônico

“Os idosos criam uma relação de confiança e convivência com os profissionais”, afirma Luciana Esteves, gerente da Universal Imóveis (Foto: Divulgação)

A segurança é o principal fator que motiva as pessoas a decidirem por um condomínio que possui o serviço de portaria 24 horas. A rotina dos porteiros inclui recepcionar, orientar e monitorar quem chega e sai do local. Nos prédios em que há câmeras de segurança, cabe a estes profissionais acompanhar as imagens dos equipamentos. Eles também são responsáveis por auxiliar na vigilância, reconhecer pessoas desconhecidas e fazer contato direto com os moradores a fim de garantir a proteção de todos.

Na tentativa de reduzir gastos, há condomínios que optam pelo uso do porteiro eletrônico como alternativa de aumentar a segurança do local. Apesar de eficiente, o sistema desempenha apenas uma das funções de segurança, que é o monitoramento da entrada de pessoas no edifício. “O profissional desempenha uma função muito mais completa, que vai além da questão da segurança. Por isso, boa parte das pessoas não abre mão da presença dos porteiros e está disposta a pagar mais caro por este diferencial”, avalia o presidente do Sindicato dos Condomínios de Juiz de Fora e Zona da Mata (Sindcon-JF/ZM), Márcio Vinícius Tavares.

Atribuições do porteiro

As funções dos porteiros são definidas pela Classificação Brasileira de Ocupações (CBO) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). De acordo com o documento, estes profissionais devem controlar o fluxo de pessoas, exercer a vigilância e zelar pela guarda do patrimônio, inspecionando as dependências. Eles também são responsáveis pela boa conservação do local de trabalho.

Aos síndicos é dada à função de fiscalizar o serviço, e aos condôminos é solicitado o respeito às atribuições do porteiro. “Em geral, os síndicos e as administradoras buscam estas informações para garantir que o profissional irá executar as atividades que são da sua rotina”, explica Márcio Vinícius Tavares.

Além de auxiliarem na segurança do local, os porteiros também são responsáveis por receber correspondências e encomendas, o que aumenta a comodidade dos moradores. “Apesar de não ser uma atribuição, muitos auxiliam com as sacolas de compras e as malas de viagem por gentileza”, destaca Márcio. “O que não pode é o morador exigir que o porteiro desempenhe funções em que ele irá se ausentar da portaria por muito tempo como, por exemplo, efetuar reparos no imóvel.”

 

Leia mais notícias aqui

 

Fonte: Tribuna de Minas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here