Turma determina que proprietária retire grades que destoam do restante do prédio.

0
450

A 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, por unanimidade, deu provimento a recurso do autor, e reformou a sentença de 1ª Instância, que julgou improcedentes os pedidos iniciais. O Condomínio do Edifício San Diego ajuizou ação em desfavor da ré, proprietária de uma das unidades habitacionais do referido edifício, alegando que a mesma teria violado o regulamento interno do condomínio, pois teria instalado grades nas janelas de sua unidade de forma irregular. A ré, em sua contestação, defendeu que o regulamento do condomínio teria sido aprovado após a instalação das grades, e que as grades seriam necessárias para a segurança do apartamento. A sentença proferida pelo Juízo da 11ª Vara Cível do Distrito Federal julgou improcedentes os pedidos. Os desembargadores, no entanto, entenderam que a sentença deveria ser reformada, e explicaram que a manutenção das grades que destoam do restante do prédio pode gerar desvalorização de todas as unidades do conjunto habitacional:

“Não é crível que o conjunto arquitetônico da edificação predial reste prejudicado, em detrimento da satisfação individual da moradora que coloca grades que contrastam com todo o restante do edifício. As outras unidades residenciais aparentam grande possibilidade de desvalorização, porquanto a prejudicialidade da ofensa ao conjunto harmônico e estético da fachada externa denota certo tipo de desarranjo na condução e organização do condomínio.”

Fonte: http://www.ambito-juridico.com.br/

Artigo anteriorSTF considera legal lei sobre condomínios fechados no DF.
Próximo artigoZelador pego urinando no prédio em que trabalhava reverte justa causa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

5 × um =