Protegendo o condomínio de conflitos

0
419

Como melhorar a convivência e escapar dos embates dentro dos condomínios

Morar em um condomínio muitas vezes não é tão simples, na maioria das vezes cada um é responsável pelo seu espaço, mas mesmo assim isso pode acabar gerando conflitos de diversos tipos. O problema está na convivência, devido isso, os moradores precisam estar cientes de que ao surgir um problema, ele deve ser resolvido com praticidade e eficiência.

Fora isso, é preciso ter boa vontade e bom senso, para que um problema pequeno não ganhe dimensões, e se torne um grande problema, tendo que envolver a justiça, pois também trará muitos problemas para o condomínio.

O problema tende a piorar por conta que os moradores cometem o erro de achar que o síndico é responsável por tudo o que ocorre dentro do condomínio, e não é bem assim. Como por exemplo, um conflito entre moradores, que nada tem a ver com a gestão do condomínio, não é da responsabilidade do síndico.

Pensando nisso, o portal Síndico Legal listou algumas dicas para ajudar a evitar conflitos dentro do seu condomínio.

Impasses nas Assembleias

Alguns moradores acreditam que a Assembleia do condomínio é para fazer desordem, arrumar confusão, já que existe morador que aproveita o momento para resolver problema particular com outro morador. E é nesta hora que o síndico irá precisar intervir, e manter a classe e a ordem. O síndico pode criar um Conselho para ajudá-lo nas questões do condomínio, principalmente para ajudar a manter a disciplina entre os moradores.

O síndico também deve deixar os moradores cientes de que o objetivo da Assembleia é discutir somente os assuntos que estiverem previstos na pauta, e que não deve haver discussões desnecessárias.

É importante determinar os horários de inicio e fim das reuniões, para evitar atrasos ou que ela se estenda por muito tempo.

É interessante também ter a presença de algum advogado, ou administrador, para que os problemas sejam resolvidos de forma mais rápida, e evitar discussões indevidas, e principalmente, não deixando os problemas se tornarem maiores, aproveitando as autoridades presentes para resolvê-los.

 

Desentendimento entre condôminos

A convivência entre os condôminos pode não ser tão fácil como parece. Às vezes o simples fato de andar de salto, ou arrastar um móvel, pode causar certa provocação a outro condômino. Neste caso, uma briga entre dois moradores, o condomínio não deve se envolver. O fator criterioso para um possível envolvimento do condomínio, e averiguar se a discussão está interferindo alguma coisa na rotina do condomínio, e o síndico deve tomar cuidado ao se intrometer, e para evitar que ele se torne parte do problema, e se o caso não for controlado e ficar mais grave, o mais correto é deixar que os envolvidos se resolvam, e em extremas situações, até mesmo chamar a polícia.

Obrigações do síndico

O síndico não deve ser responsabilizado pelas atitudes dos outros, pois cada um tem seu papel dentro de um condomínio. Mas em casos do síndico ser morador, algumas vezes, o lado profissional fica de lado, e isso deve ser tratado com muita cautela.

O síndico não deve ir resolver um problema do condomínio, como por exemplo, um vazamento de pia na casa de um condômino, isso não é tarefa dele, e todos precisam estar cientes de que a função do síndico é cuidar do condomínio, pelo bem comum de todos, e não em situações pessoais. O síndico só deve se envolver se afetar de alguma forma na rotina do condomínio.

Pets no condomínio

Possuir um animal de estimação em um condomínio faz parte do direito de propriedade. Um pet dentro do condomínio é permitido desde que as regras do condomínio sejam respeitadas. E um dos maiores causadores de conflitos dentro de um condomínio são os assuntos relacionados a animais de estimação.

É importante que o síndico, os funcionários do condomínio, verifique constantemente se as normas estão sendo cumpridas, se os moradores não estão burlando as regras e se não estão incomodando outros moradores que não possuem animais.

As regras para se ter um pet no condomínio são simples, não infringir os princípios básicos de convivência, que são eles: Segurança, saúde, bom senso e sossego. Lembrando que isso serve para todos os tipos e raças.

Um detalhe importante é observar e seguir as normas previstas na Convenção e no Regimento Interno, e posteriormente, as novas determinações sugeridas nas Assembleias.

 

Visitantes e convidados

Outro grande problema e gerador de conflitos dentro de um condomínio são os ‘visitantes’, que por não saberem as regras do condomínio e sua importância, muitas vezes acabam desrespeitando, causando grandes problemas. E neste caso, o proprietário que convidou o ‘visitante’, se torna responsável pelos prejuízos que o mesmo tenha causado.

Em caso de danos físicos, a cobrança será feita, e o proprietário irá pagar e cobrir as despesas. Mas em caso de brigas e agressões, ou em um exemplo extremo, de morte de no condomínio, quem irá responder será o próprio visitante.

Qualquer dica e recomendação é válida para que seja prevalecida a boa convivência e o bem estar de todos dentro do condomínio, por isso faça a sua parte e colabore com o lugar onde você mora!

Toheá Ranzeti – Redação Síndico Legal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here