Os maiores perigos para as crianças nos condomínios

1
466

Como evitar os acidentes domésticos com as crianças nas áreas comuns dos condomínios

A responsabilidade dos riscos de acidentes domésticos da garotada nas áreas comum dos condomínios inclui todos, e principalmente o síndico. Apesar da tecnologia avançada e das brincadeiras de criança não serem mais as mesmas, já que no mundo de hoje a diversão está entre os playgrounds dos condomínios e jogos de computador, o direito de ser criança ainda existe, e os pais precisam estar sempre em alerta com os filhos brincando soltos pelo condomínio.

É de extrema importância se manter atento aos pequenos riscos dentro de casa, por mais que pareçam insignificantes, as crianças e os idosos são as principais vítimas desse tipo de acidente, portanto os cuidados devem ser redobrados.

Todos já devem ter passado por essa situação em algum momento da vida, em pequenas ou em grandes dimensões. Queimaduras, intoxicações, choque elétrico, quedas, afogamento. O âmbito domiciliar pode ser bastante propício a alguns acidentes, mas os riscos podem ser evitados com algumas medidas de organização.

Lógico que nos condomínios o cuidado tem de ser redobrado, pelo número de crianças que possuem, e pelos espaços e riscos que podem oferecer para que acidentes domésticos possam acontecer.

Destacamos desde já, que o síndico como responsável pelo condomínio, sendo assim pelas áreas comuns do mesmo, precisa conferir e verificar se essas áreas estão corretas e de acordo com as Normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), caso contrário, e algum acidente sério aconteça, o síndico poderá responder cível e criminalmente pelo ocorrido.

Devido isso, com essa gravidade, o síndico pode intervir aderindo algumas ações simples, como um piso emborrachado no playground e colocar protetores nas tomadas já são um começo de prevenção de acidentes.

“Os acidentes com as crianças começam a partir da idade que a criança começa a andar, tendo um pouco mais de liberdade, então a orientação é de que sempre tomem cuidado desde essa fase”, explica o Tenente Eduardo Fernandes Bueno do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso.

De acordo com o Tenente do Corpo de Bombeiros, os perigos estão por perto, piscinas com azulejos escorregadios ao redor e sem grades de proteção, brinquedos do playground soltando parafusos, tomadas desprotegidas no salão de festas, grades estragadas e enferrujadas. “Todas essas situações causam sérios riscos de acidentes para crianças em condomínios”, alerta Eduardo.

Crianças desacompanhadas, principalmente em áreas com água, como piscinas, chafariz, podem estar sujeitas a algum acidente como afogamento. “E por mais que o condomínio seja movimentado, o acidente pode acontecer e ninguém saber, e a criança não conseguir chamar por ajuda, por isso, todo cuidado é pouco”, relata Fernandes.

Uma dica é fazer uma avaliação das estruturas comuns dos condomínios, uma descrição relatando os pontos graves e os mais desprotegidos. Observando as crianças brincarem, vendo por onde passam para ver quais lugares precisam ser averiguados.

Avisos pelas áreas comuns, e informativos orientando os pais dos cuidados com os acidentes domésticos são importantes, para que os moradores também estejam cientes de todos os riscos e como preveni-los.

O portal Síndico Legal foi atrás de sugestões e dicas para os condôminos e principalmente para os síndicos estarem implantando nos condomínios e evitar qualquer acidente com crianças.

Piscinas

“O afogamento é uma das maiores causas de morte de crianças no país. Não precisa ser uma piscina exatamente para que esse acidente aconteça, podendo até mesmo ser uma fonte rasa”, avisa Bueno.

Por isso a proteção dessas áreas e principalmente da piscina é muito importante, além das grades é interessante a instalação de câmeras em pontos estratégicos que consiga captar imagens precisas, para que caso um acidente aconteça, algum funcionário do condomínio possa ver as imagens na hora e consiga socorrer a tempo.

O piso também é um quesito a se considerar, pois instalando pisos antiderrapantes ao redor irá evitar que as crianças escorreguem e caiam.

Outra preocupação nesta área está nos ralos, que muitas vezes causam acidentes por sugarem com muita força e pressão a água, e algumas crianças acabam se machucando. A solução para proteger os ralos é instalar grelhas protetoras, que evitam que cabelos e partes do corpo sejam sugados.

Playgrounds e brinquedotecas

Que as crianças em algum momento vão cair e se machucar no parquinho é um fato. Mas o quesito é o que fazer para que esse acidente não seja grave. A instalação dos pisos emborrachados no playground foi uma das dicas que citamos mais acima, e que voltamos a destacar a importância, pois com o piso almofadado amortecem o impacto de uma queda.

“Cuidar com os brinquedos de ferros com defeitos, pois podem estar enferrujados e podem cortar. E os de madeiras podem soltar farpas e também causar pequenos acidentes”, exalta Eduardo.

Quanto aos parafusos soltos, a dica é utilizar protetores ou ajustá-los. E se possível verificar quanto às quinas dos brinquedos, elas precisam ser arredondadas e quanto menos ponta tiver, melhor. Nas gangorras, é bom protege-la com borracha, para que o brinquedo não corte as crianças.

Nas brinquedotecas, podem procurar instalar piso de EVA, deixa o local mais seguro para os pequenos. Os armários e prateleiras não devem ter quinas, o ideal é lixar ou instalar proteções de silicone. Nas tomadas sempre é bom ter cuidado, colocar protetores, e não deixar nenhum fio de energia exposto.

Escadas e elevadores

Como é impossível de evitar que as crianças brinquem e corram pelas escadas, elas são favoráveis para quedas. Uma maneira eficiente de evitar acidente é colocar piso ou faixas antiderrapantes e corrimões firmes.

Nos elevadores, nunca é bom deixar as crianças sozinhas. Pois podem prender a mão, ou querer forçar a abertura da porta, até mesmo quando ele não esteja posicionado no andar. Isso se explica pelo fato de verem estes atos em filmes e quererem imitá-los.

Bueno conta que toda a área do elevador precisa ser sinalizada. “Os elevadores precisam ser inspecionados frequentemente”, diz ele.

Garagens

Nunca. As crianças nunca devem estar sem a presença de um adulto na garagem, por hipótese nenhuma. Por serem pequenas, elas costumam ficar no ponto cego do carro, o que pode facilitar um atropelamento.

Churrasqueira

“Os moradores não devem deixar nenhum item de risco, como: fósforos, isqueiros, álcool, pois podem atiçar a curiosidade das crianças”, relata o Tenente.

Ao utilizar essa área, o condômino precisa cuidar do espaço, e nunca acender a churrasqueira com criança por perto.

 

Janelas e sacadas

Apesar de não estar numa área comum do condomínio, mas é muito bom frisar, as janelas e sacadas, já que existe um grande número de acidentes com crianças nessa área. “Com criança em casa, é bom colocar grades ou redes de proteção em todas as janelas e sacadas. São as únicas formas de evitar acidentes graves em apartamentos. Uma porta ou uma janela aberta representam um grande perigo. Há muitas quedas de crianças em consequência de janelas e portas abertas” declara Eduardo.

Mesmo que não tenha criança em casa, ao receber uma visita, é sempre bom ficar de olho.

Esses são os alertas que o portal Síndico Legal faz para todos os condôminos e síndicos, com a criançada cuidado nunca é demais, fiquem atentos!

Redação Síndico legal

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here