O que o síndico precisa saber sobre incêndios em condomínios?

0
129
Síndico Alarme de incendio

Curto-circuito em aparelhos eletrônicos mal instalados, panela esquecida em fogão ligado, vazamento de gás na cozinha, fiação exposta.

 

Esses são alguns dos principais motivos relatados por moradores que já sofreram com incêndios em suas unidades.

Quando ocorrem em prédios, os prejuízos costumam ser maiores e os riscos aumentam devido à proximidade entre os apartamentos e a presença de maior número de pessoas, aparelhos e objetos inflamáveis.

 

Ocorrências

 

Deixar aparelhos no carregador

Um apartamento no 21° da torre F de um condomínio em Taboão, interior de São Paulo, pegou fogo no início de agosto.

Do prédio ao lado, os moradores conseguiam ver o fogo e relataram que as chamas teriam começado após o dono do apartamento ter esquecido um patinete elétrico carregando.

 

Ar condicionado

Ar Condicionado Central

Em Manaus, os moradores do Condomínio Ilhas Gregas, localizado no bairro Ponta Negra, zona Oeste de Manaus, ficaram em pânico durante um princípio de incêndio que atingiu a academia do local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, populares conseguiram controlar o princípio de incêndio com uso de extintores. O fato de início após um curto circuito na central de ar-condicionado.

Em Maceió, o laudo da perícia realizada pelo Corpo de Bombeiros em um apartamento no bairro da Jatiúca, concluiu que o incêndio que deixou uma idosa morta foi provocado por um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado.

O incêndio ocorreu quando a vítima identificada como Marlene Lopes, de 56 anos, estava dormindo no apartamento onde o fogo começou e não conseguiu deixar o local e acabou falecendo.

O Corpo de Bombeiros precisou deslocar seis viaturas e um total de 24 militares para a ocorrência. Além da morte da moradora, um cachorro também foi vítima do incêndio.

 

Máquina de lavar roupas

[stu alias=”increvase”]

Um incêndio em um apartamento assustou moradores de um condomínio na Vila Alpes, em São Carlos. Ninguém ficou ferido.

De acordo com vizinhos, um provável curto-circuito em uma máquina de lavar roupas provocou as chamas.

Os próprios moradores do condomínio conseguiram conter o fogo na lavanderia do apartamento.

 

 

Estatística

Estimativas

Embora seja difícil encontrar dados sobre incêndios em condomínios, o Brasil é um dos países que registra maior índice de mortes por incêndio ou exposição à fumaça. Em 2011, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 1.051 óbitos.

De acordo com o Ministério da Justiça, somando queimadas florestais e incêndios residenciais, são, em média, 267 mil ocorrências registradas todos os anos.

 

Como prevenir incêndios em condomínios?

Equipamentos de Prevenção Contra Incêndio

Quando pensamos em um incêndio em um condomínio ou outro local fechado, devemos ter em conta uma série de procedimentos que devem ser adotados para minimizar os danos em caso de acidente.

Sinalização, saídas de segurança, sistema de ventilação, equipamentos para combate a incêndio e presença de uma brigada de combate a incêndio são alguns desses itens. O condomínios tem que ter o AVCB em dias.

 

O que é o AVCB?

É um documento emitido pelo Corpo de Bombeiros de um estado, que atesta que um estabelecimento, como indústria, loja ou edifício, por exemplo, está adaptado a facilitar uma evacuação em caso de pânico e a entrada de bombeiros para o combate adequado a um incêndio.

ASSISTA O VÍDEO

 

 

Como obter o documento?

Como não há um padrão nacional definido, o proprietário do estabelecimento deve executar o Projeto de Segurança contra Incêndio e Pânico, elaborado por um profissional habilitado e aprovado pelo Corpo de Bombeiros.

Quando a execução tiver sido concluída, a corporação é novamente acionada para atestar se o edifício cumpriu as determinações de forma rigorosa.

 

Quando é necessário tirar o AVCB?

AVCB

 

Basicamente, o auto deve ser emitido (ou renovado) em algumas situações que exigirem mudanças no projeto inicial, como a construção de um prédio ou de uma área de risco, reforma, mudança de ocupação ou uso, ampliação da área ou da altura da construção, regularização das edificações.

Entretanto também existe a necessidade de renovação do AVCB, a periodicidade correta para renovar o AVCB depende de cada estado.

Mesmo com períodos diferentes é importante notar que os itens averiguados pelo Corpo de Bombeiros na vistoria devem seguir normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Esses regramentos não são leis, mas servem como um parâmetro a ser considerado pelo síndico no tocante a manutenção do condomínio.

 

Porque contratar um bombeiro civil?

Contratação de Bombeiro Civil

Em algumas cidades brasileiras, a legislação municipal exige a presença de uma unidade de combate a incêndio formada por bombeiros civis.

O bombeiro civil é o profissional que exerce a atividade “de prevenção e combate a incêndio, como empregado contratado diretamente por empresas privadas ou públicas, sociedades de economia mista, ou empresas especializadas em prestação de serviços de prevenção e combate a incêndio”.

Ele é responsável por inspecionar e utilizar equipamentos de segurança e também é treinado para realizar salvamentos na água, na terra e no ar, além de primeiros socorros. Outra função dos bombeiros civis é treinar brigadistas em determinadas empresas.

A legislação determina que qualquer instituição com mais de 20 funcionários deve ter equipes treinadas para lidar com algum tipo de incêndio.

 

Seguro dos bombeirosSeguro dos Bombeiros

O alvará do Corpo de Bombeiros é uma espécie de garantia de que um determinado estabelecimento foi vistoriado e classificado como seguro. Para isso, o Corpo de Bombeiros deve analisar uma série de aspectos, como:

  • Instalação e manutenção de equipamentos de combate a incêndio e de utilização de gases inflamáveis;
  • Instalação do sistema de pressurização de escada de segurança;
  • Instalação de revestimento de estruturas para proteção contra fogo;
  • Sistema de chuveiros automáticos;
  • Formação de brigada contra incêndio;
  • Sinalização e saídas de emergência.

Para obter o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros, é necessário cumprir uma série de pré-requisitos definidos pela corporação.

Após a realização dos procedimentos, uma equipe dos bombeiros é chamada ao local para realizar a vistoria e verificar se são necessários novos ajustes.

O documento tem validade de um a três anos (conforme o projeto) e o empreendimento deve passar por novas vistorias sempre que o documento estiver prestes a vencer.

 

Extintores de incêndio

Há quatro tipos de extintores disponíveis no mercado hoje em dia, que utilizam substâncias diferentes em sua composição e, por isso, atuam de forma diferente sobre o foco de incêndio.

Isso porque o incêndio pode atingir diferentes tipos de estrutura e materiais e, por isso, tem que ser combatido de modo específico. Os incêndios são classificados por letras: A, B, C e D.

– Água pressurizada

É aquele que atira um jato de água pressurizada sobre a base do fogo. Age por meio do resfriamento e abafamento do foco de incêndio. Pode ser aplicado em incêndios de classe A, que atinjam estruturas de madeira, papel, tecido e outros materiais sólidos, em geral.

– Gás carbônico

Conhecido como extintor de CO2 (dióxido de carbono), deve ser manuseado com cuidado, para não causar queimaduras. O extintor de gás carbônico não é condutor de eletricidade e, portanto, é indicado para incêndios de classe C, que atingem equipamentos elétricos energizados.

– Pó químico seco

É um dos mais comuns e pode ser usado em praticamente qualquer tipo de incêndio, como o de líquidos inflamáveis (classe B), além dos incêndios de classe A e C.

 

Veja a importância da simulação de abandono

Imagem: Rota das notícias

Uma das exigências para que o Corpo de Bombeiros conceda o Auto de Verificação a um estabelecimento é a presença de um plano de abandono do edifício. Em alguns estados, é exigido que as empresas façam ao menos duas simulações de abandono ao ano.

E por que isso é importante? Em uma situação causada por um incêndio, a maior parte das pessoas não faz ideia de como agir em um ambiente tomado por colunas de fumaça, e o pânico toma conta dos funcionários ou moradores.

Um treinamento específico, como no caso das simulações de abandono de edifício, permite que as pessoas que trabalham ou vivem no prédio conheçam melhor as rotas de fuga, a saída de emergência, as portas corta-fogo e uma série de equipamentos e dicas fundamentais para evitar que um incêndio seja agravado por uma situação de pânico. Para isso, é necessário seguir algumas recomendações básicas:

Ficar calmo;

Manter a ordem;

Seguir as orientações de brigadistas e líderes de brigada;

Deslocar-se em direção à saída de emergência, em fila.

Outro aspecto importante dessas simulações de abandono é que os funcionários da empresa ficam conhecendo os brigadistas e os líderes em cada processo, que são pessoas que passaram por um treinamento com o Corpo de Bombeiros e têm conhecimento para liderar o restante do grupo em uma situação desse tipo. Isso cria um ambiente de maior segurança, em que o líder e os demais brigadistas atuam para garantir que as pessoas possam deixar o prédio em segurança.

 

 

Geiseane Lemes –Redação Síndico Legal

 

[/stu]

 

 

Leia mais conteúdo exclusivo aqui!

 

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here