Novas regras de privacidade de WhatsApp geram polêmica em grupos de condomínios

0
369
Após o anúncio da mudança nas políticas de privacidade do WhatsApp, houve um aumento no número de usuários que buscam outros aplicativos
Após o anúncio da mudança nas políticas de privacidade do WhatsApp, houve um aumento no número de usuários que buscam outros aplicativos

Fundado em 2009 por uma startup, o WhatsApp foi comprado pelo Facebook em 2014 e, em maio de 2021, o aplicativo sofrerá alterações na sua política de privacidade. A partir de então, as novas regras permitirão o compartilhamento de dados dos usuários com contas comerciais integradas com o Facebook, Instagram e Messenger. O aplicativo notificou os usuários sobre a nova atualização no início de janeiro e informou que apenas os usuários que aceitarem as mudanças, poderão continuar usando a ferramenta.

 

 

Após o anúncio da mudança nas políticas de privacidade do WhatsApp, houve um aumento no número de usuários que buscam outros aplicativos para poderem se comunicar. O compartilhamento de informações dessa nova política de privacidade do WhatsApp envolve uma grande lista: mensagens, pagamentos realizados pela plataforma, números de contatos, atualizações de status, tempo de uso, entre outras.

 

 

Sendo assim, alguns usuários estão buscando outras alternativas para se sentirem mais confortáveis ao compartilhar mensagens. Esse cenário faz parte do cotidiano de moradores de condomínios, que antes mesmo da atualização já buscavam por outras soluções, uma vez que o WhatsApp é uma ferramenta informal de comunicação e está trazendo muitos problemas, inclusive judiciais, para condomínios.

 

 

É o caso do advogado Bruno Matos, síndico de um condomínio em Bauru – SP, que começou a utilizar um aplicativo exclusivo para condomínio durante a pandemia, já que o contato com os moradores ficou prejudicado por conta do isolamento social.

“O grupo de WhatsApp, apesar de ser uma ferramenta muito importante para o condomínio, não pode se tornar oficial, já que muitos moradores não gostam de participar de grupos e acabam saindo e, assim, muitas informações importantes são perdidas”.

Fonte: Terra

 

LEIA TAMBÉM

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here