Iniciando a previsão orçamentária

0
177
Iniciando a previsão orçamentária
Iniciando a previsão orçamentária

A previsão orçamentária deve ser feita com base nos gastos do período anterior, que pode ser um ano ou de seis meses, conforme está determinado na convenção, ou por motivos supervenientes, tais como alta inflação.

 

 

Deve-se ter em mãos a expectativa da inflação para o período projetado e deve-se levar em conta o histórico de inadimplência, reajuste na data base dos funcionários, férias e décimo terceiro, contratos a serem negociados, reajuste de tarifas públicas, etc. Além disso tudo, também deve-se permitir uma margem de manobra, para que o pagamento das contas não fique apertado.

Para tanto, vale fazer uma conta simples, levando em conta todos os meses do ano, o gasto com cada item do orçamento, como água, luz, manutenção dos aparelhos, gastos com funcionários, etc. Somam-se esses valores e divide-se por doze. Daí há um cálculo do peso de cada na soma geral do mês.

 

 

Não deve esquecer a inclusão das melhorias que o empreendimento precisa. Seja uma limpeza da fachada, impermeabilização da laje ou uma troca de fiação, manutenção de equipamentos é muito importante que esse tipo de gasto já esteja acomodado na previsão orçamentária para o próximo ano. Portanto, vale saber o tamanho do investimento antes de fazer a previsão. Dessa forma, evita-se o desgaste de haver a necessidade de rateios extras, o que nunca é bem visto pelos moradores.

O nível de inadimplência também deve ser levado em conta, evitando assim que a previsão fique extremamente justa, e também leve a necessidade de rateios extras. Para reaver esse dinheiro atrasado, os especialistas são taxativos: primeiro um acordo e, então, ação judicial.

 

 

Fatores como a sazonalidade dos gastos são importantes. O consumo de água, por exemplo, costuma ser mais alto em alguns meses que em outros, o que pode ser previsto no cálculo do valor do condomínio para esse período.

O padrão do prédio também influi na contabilidade: em edifícios de alto padrão, as pessoas costumam viajar mais durante as férias, o que diminui despesas com luz e água, entre outras.

Enfim, é importante analisar os gastos e consumo ao longo de todos os meses nos anos anteriores para fazer uma previsão do valor do condomínio.

Fonte: Manual Prático do Condomínio, Síndico e Condôminos – Ivan Horcaio

 

LEIA TAMBÉM

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here