Homem é suspeito de espancar vizinho idoso após discussão sobre pet

0
78
Renato Figueiredo, que é suboficial reformado da aeronáutica, é suspeito de ter agredido Stauffer — Foto: Reprodução TV Globo

Valdecir Stauffer, aposentado de 73 anos, morreu com traumatismo craniano depois de ficar internado por uma semana. Renato Figueiredo, suboficial reformado da Aeronáutica, está foragido.

 

 

Um desentendimento entre vizinhos de um condomínio de Jarepaguá, na Zona Oeste do Rio, terminou com a morte de Valdecir Stauffer, de 73 anos.

O aposentado, que ficou internado por uma semana no hospital depois de ser diagnosticado com traumatismo craniano, teria discutido com o vizinho Renato Figueiredo antes de ser encontrado gravemente ferido.

O motivo do desentendimento seria um cachorro sem coleira.

Renato, que é suboficial reformado da Aeronáutica, é suspeito de ter agredido Stauffer. Ele teve a prisão decretada e está foragido da Justiça.

Segundo testemunhas, no dia 31 de agosto, os dois vizinhos passeavam com seus cães em uma área comum do condomínio, quando se desentenderam e começaram uma discussão.

Outros moradores contaram que ouviram a troca de acusações entre eles e em seguida um grito pedindo socorro. Ao chegarem no local, Stauffer estava caído no chão desacordado e com um sangramento na cabeça.

Mauro dos Santos, que também mora no condomínio, disse que prestou socorro e ajudou a levar Stauffer para o hospital, junto com Renato Figueiredo.

“Eu perguntei para ele (Renato) o que aconteceu e ele contou para mim que o Stauffer, do nada, passou mal, veio descendo a rua de costas e caiu. Essa foi a resposta dele para mim”, contou Mauro.

Eloisa Stauffer, esposa do aposentado, disse que o marido conseguiu falar algumas palavras antes de ser internado. Segundo Eloisa, ele contou que tinha sido brutalmente agredido pelo vizinho.

Ela ainda comentou que o marido se incomodava com o fato de Renato andar com seu cachorro solto pelo prédio e que, inclusive, ele já teria atacado outros moradores.

“Já vem rolando um problema há muito tempo. Ele solta o cachorro. O cachorro já mordeu o meu pai e mordeu um outro menino chamado Marcinho”, disse Eloisa Stauffer.
Segundo o delegado Gustavo Rodrigues, responsável pelas investigações, “não há dúvida sobre a autoria do fato” — Foto: Reprodução TV Globo

Segundo o delegado Gustavo Rodrigues, responsável pelas investigações, “não há dúvida sobre a autoria do fato”.

“A imputação inicial é de homicídio qualificado porque impossibilitou a defesa da vítima e por um motivo banal. Foi uma briga envolvendo um animal de estimação e gerou a morte de um senhor de idade”, contou o delegado.

Fonte: G1

 

Leia mais notícias aqui!

LEIA TAMBÉM

Conflitos entre condôminos, como resolver?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here