Gerente Predial

0
552

O gerente predial é tido como upgrade do zelador tradicional.

Há quem concorde com essa denominação apenas se ele tiver curso superior e mais de cinco anos de experiência.

Em tese, um profissional mais capacitado, mais preparado.

Tem facilidade no trato com pessoas, conhece a legislação, escreve bem e sabe se expressar, tem espírito de liderança, alguma vivência em obras, reformas e compras, boa familiaridade em manutenção/conservação e, imprescindível, conhecimentos em informática.

Como o zelador, é o braço direito do síndico.

Ele é muito requisitado em condomínios comerciais, pela maior complexidade (locação de áreas e terceirização de serviços, como a garagem), maior número de equipamentos instalados (controles de acesso, sistema de pressurização de escadas, ar condicionado central, sistema de segurança, estação de tratamento de esgotos etc.) e o expressivo contingente diário de visitantes, funcionários e prestadores.

Mas, tem sido também procurado em residenciais de alto padrão, com complexidade semelhante, de outras singularidades.

A grande expectativa na sua contratação é a proatividade, antecipando-se aos problemas, com a adoção de manutenções preventivas eficientes, diminuindo o custo operacional do condomínio.

Suas principais atribuições seriam algumas daquelas inerentes ao síndico, a quem representa no dia a dia.

Além de, objetivamente:

  • Coordenar e liderar toda a equipe de funcionários, próprios e terceirizados;
  • Ter a segurança da edificação e de todos que ali transitam diariamente como prioridade;
  • Orientar e colaborar com a brigada de combate a incêndios em testes rotineiros e em eventuais sinistros;
  • Lidar com fornecedores e prestadores de serviços, obtendo orçamentos e analisando minutas de contrato;
  • Relacionar-se com a construtora/incorporadora, como interface entre ela e os condóminos;
  • Conhecer substancialmente a parte elétrica e hidráulica do edifício;
  • Elaborar relatórios periódicos de controle;
  • Fazer checklist periódico nos diversos equipamentos, conforme plano de manutenção, ou definindo novas diretrizes;
  • Sugerir novas práticas, em qualquer frente, visando ao melhor resultado;
  • Reunir-se com o síndico, subsíndico e ou membros do conselho em datas preestabelecidas ou quando solicitado.
Fonte: Práticas de Gestão Condominial – Orandyr Teixeira Luz (O condomínio & Você)

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here