Gatos são assassinados e esquartejados em condomínio de BH

0
38
Gatinha Mel foi encontrada sem vida, perto de uns arbustos, com sinais de envenenamento

Dez gatos foram assassinados, e alguns esquartejados, em um condomínio com oito prédios no bairro Caiçara, região Noroeste de Belo Horizonte. A maior parte dos animais sofreu envenenamento – outros, entretanto, morreram com requintes de crueldade. Um dos relatos dá conta de uma gata que havia acabado de dar à luz e foi esquartejada junto com três dos filhotes.

“Arrancaram as pernas e as cabeças e deixaram espalhadas pelas áreas comuns dos prédios”, relata a empresária e Relações Públicas Maria Silveira Magalhães Vilela, tutora de July, uma gata siamesa de 4 anos assassinada na última semana.

“Cheguei em casa e a encontrei sem vida, com a boca espumando e a barriga inchada, com sinais claros de envenenamento”, disse. Maria detalhou que a gata era a principal companhia do pai dela, viúvo há cinco anos.

Dois boletins de ocorrência já foram registrados pelos síndicos do condomínio, mas nenhuma providência foi tomada até o momento. Maria Silveira diz que espera a polícia interferir o mais rápido possível para interromper a ação do responsável, ou responsáveis, pelos crimes. “Meu irmão mora no mesmo condomínio e está trancado em casa com o gato dele, apavorado. Isso tem que acabar”, afirma.

Cheguei em casa e a encontrei sem vida, com a boca espumando e a barriga inchada

Outra moradora, a publicitária Carina Ramos Araújo, de 28 anos, disse estar “esgotada emocionalmente”. Conhecida como “a menina dos gatos”, ela resgata os que são abandonados nas ruas, os leva para castrar, cuida deles e depois oferece para adoção em suas redes sociais.

Ela contou que se mudou para o condomínio há cerca de um ano e, neste meio tempo, já perdeu a conta de quantos animais mortos teve que recolher. “Como todos os moradores sabem que eu sofro muito, me chamam para pegar o corpinho quando encontram um. Mas, cheguei no meu limite, não estou mais dando conta dessa situação”, desabafou.

A publicitária relatou que o Caiçara é um bairro com muitos gatos. “Eles circulam pelas ruas e nós sempre deixamos pratos com água e ração para eles nos jardins do condomínio. Talvez isso incomode o assassino. Mas nada justifica tanta crueldade”, disse. Os animais são mortos sempre do mesmo jeito, conforme relatam os moradores: os gatos adultos são sempre envenenados, e os filhotes têm as barrigas cortadas com um canivete.

A publicitária pede que seja feita uma investigação sobre as mortes dos gatos

Recentemente, ela perdeu uma gata chamada Mel. “Ela era muito livre, não conseguia ficar presa no apartamento. Então, eu a deixava sair. Ela saía por umas duas horas, e parecia entender porque voltava sempre no horário combinado. Parava na porta e miava pra eu abrir. Um dia, ela não miou. Não estava atrás da porta. Saí pra procurar e encontrei seu corpinho perto de uns arbustos, bem embaixo da janela do meu apartamento”, contou.

A publicitária pede que seja feita uma investigação sobre as mortes dos gatos. Ela detalhou que no condomínio há câmeras de segurança que devem ter flagrado os crimes. “Também temos fotos de iscas envenenadas, e uma outra moradora recolheu um pacote de carne com chumbinho. Está tudo registrado, só precisamos de ajuda”. Carina, aliás, considera se mudar do condomínio. “Um vizinho tomou essa decisão ontem. Estou quase fazendo o mesmo”, disse.

A reportagem da Itatiaia entrou em contato com a Polícia Civil a respeito do caso e aguardo retorno.

 

Fonte: Itatiaia

 

LEIA TAMBÉM

FAÇA PARTE DOS NOSSOS GRUPOS 

👉 GRUPOS WHATSAPP👈

👉GRUPO TELEGRAM👈

👉INSCREVA-SE NO YOUTUBE

 

Artigo anteriorJuiz marca julgamento de personal que agrediu síndico em Águas Claras
Próximo artigoO síndico foi preso, e agora? Saiba como proceder se isso acontecer no seu condomínio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

11 − dez =