Moradores reclamam de falhas em estruturas em condomínio de VG

0
140

Um grupo com cerca de 40 moradores que compraram casas no condomínio Origem VG se juntaram para denunciar problemas nas estruturas dos imóveis recém-adquiridos.

Além de relatarem o mau acabamento nas residências, parte dos moradores também afirmou que estão tendo problemas no financiamento e são impedidos de fazer visitação antes de realizarem a mudança.

O condomínio é propriedade da Rodobens Incorporadora Imobiliária que fez toda a obra das mais de duzentas residências que ocupam o Origem VG. A construtora também é uma das principais queixas dos moradores.

Um dos condôminos  que preferiu não se identificar  relata que se mudou em maio para sua casa após pagar cerca de R$ 400 mil no imóvel com o financiamento. Recém-casado, ele esperava começar a vida em família, mas se deparou com diversos problemas.

O primeiro foi no momento da mudança. À época, ele havia recebido a chave e usou a casa para guardar alguns presentes que ganhou em seu chá de panela enquanto não se mudava para o endereço.

No entanto, em certo dia, acordou com a notícia de que ladrões haviam invadido o imóvel e furtado diversos pertences. Segundo ele, os bandidos tiveram acesso às casas, pois o fundo do condomínio não tem muro, apenas uma rede de arame. Se mudando às pressas, o morador conta que logo notou várias falhas na estrutura.

Durante os quatro meses que vive no condomínio, relata que já precisou trocar portas, pisos, fiações elétricas e até mesmo abrir uma parede para mudar toda a tubulação.

Todos os reparos foram cobertos pela própria construtora, devido à garantia dos imóveis. No entanto, o morador destaca que cada dia é um novo transtorno na vida da família, já que a cada defeito é preciso abrir um chamado com a Rodobens.

Atualmente a família tenta lidar com rachaduras que apareceram nas paredes da suíte e com o problema do ar-condicionado, que foi colocado na cozinha em vez de seguir o projeto do decorado, em que era instalado na sala de estar.

Apesar de custear as obras dos problemas menos complexos, o morador relata que ainda não recebeu uma resposta de como vai solucionar o problema do ar-condicionado.

Segundo ele, a construtora já afirmou que se ele fizer qualquer furo na parede perde a garantia da casa e, dessa forma, vai precisar pagar por qualquer outro reparo que precisar fazer no imóvel.

“Contratei uma advogada, vou pagar um laudo de um engenheiro para entrar com uma ação contra a empresa para pedir reparos estruturais e psicológicos por tudo que estou passando”, afirma.

Problemas que acumulam

Mesmo após a entrega da casa, morador precisou fazer diversos reparos

Já a médica Raida Alves Lima conta que comprou duas casas no condomínio como forma de investimento. Foram R$ 700 mil gastos nas residências, mas a profissional já se diz arrependida do negócio.

Segundo ela, até agora só conseguiu pegar a chave e financiar um dos imóveis, porém, ela ainda não pode se mudar porque precisa da aprovação da segunda casa. Com isso, a médica conta que precisa pagar um aluguel enquanto aguarda pela segunda residência.

Apesar de ainda não morar no local, Raida já sabe sobre os problemas estruturais que seus vizinhos vem sofrendo. Ela conta que além do acabamento mal feito, os moradores estão sofrendo com a falta de água.

O problema, que já é recorrente em diversas áreas de Várzea Grande, chocou a moradora, já que ela esperava que a construtora fosse fazer reservatório ou poço artesiano no condomínio por saber dessa característica do Município.

“Tem um morador que pega chave e toma banho na academia de lá, porque na casa dele não tem água. Mas na academia tem porque eles chamam caminhão pipa para reabastecer a área comum”, conta.

Com uma filha de dois meses, a médica se preocupa com o estresse que vai passar ao ter que refazer a estrutura de suas casas recém-compradas. “Te juro que se eles devolvessem meu dinheiro eu preferiria”.

Nota da empresa:

A construtora e incorporadora RNI, responsável pelo empreendimento Origem VG, esclarece que está analisando o caso, inclusive em contato com os clientes, para entender os questionamentos e tomar providências cabíveis.

Ainda, a empresa esclarece que sempre esteve e está disponível para contato por meio de seus canais de atendimento.

Com 30 anos de atuação no setor, a empresa segue com o compromisso com a ética e transparência, além de transformar e desenvolver as regiões onde atua. Permanece à disposição para o esclarecimento direto de quaisquer dúvidas adicionais.

 

Fonte: Mídia News

LEIA TAMBÉM

INSCREVA-SE NA TV SINDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here