Fachada e a sua manutenção

0
659
Fotos: Habitissimo

Qual o momento de alterar e pintar a fachada do condomínio

Não tem como fugir, sempre vai chegar uma hora e vai ser necessário pintar novamente o prédio. E é nessa hora que surge uma série de burocracia administrativa e financeira que devem ser considerados, como também a escolha das empresas que irão prestar o serviço e principalmente o fornecimento de materiais.

O portal Síndico Legal buscou esclarecer aqui os principais questionamentos que surgem na vida dos síndicos e condôminos, e facilitar o processo de reforma e manutenção da fachada.

 

É melhor pintar ou lavar?

Vai depender dos materiais utilizados e da localização do condomínio. Por exemplo, aqueles condomínios que ficam em avenidas mais movimentadas, estão sujeitos a acumular mais sujeiras do os que estão localizados em ruas e regiões mais tranquilas. A existência de raio solar também afeta na questão da umidade, já que a umidade é o ambiente propício para o aparecimento de lodo na pintura.

Os condomínios que ficam próximos ao mar, por mais que pareça, a pintura não é tão ruim quanto parece. Pois a maresia se trata apenas de água e sal e não interfere na pintura, mas para isso é preciso ter utilizado uma tinta de qualidade, o que pode sofrer com a maresia são as estruturas metálicas.

 

Periodicidade da pintura

Geralmente a pintura dos condomínios, principalmente se for prédio, devem ser feitas em um intervalo de no máximo 6 anos, de acordo com as características que citamos acima. Para que a pintura esteja em dia é indicado fazer uma lavação completa de 3 em 3 anos no máximo, assim aproveitará que a pintura ainda está salubre, e os resultados serão bem melhores.

 

Que época do ano é melhor para pintar?

A melhor época do ano para pintar o condomínio é no outono, para aproveitar o tempo que é mais seco, e a tinta secará mais rápido. Os meses de inverno e primavera geralmente são mais frios e chuvosos, e por isso atrasará e dificultará o trabalho.

Mas é preciso estar atento, porque seguindo as condições climáticas sempre pode acontecer uma surpresa. Pode acontecer de no outono o tempo mudar, e surgir uma temperatura mais baixa e atrapalhar o planejamento da pintura da fachada.

 

Convenção, Assembleia e quórum

Para poder realizar a pintura no condomínio, ou qualquer outra manutenção é necessário a aprovação, podendo ser no quórum normal e maioria simples, mas é preciso ter o consentimento. Ao convocar a Assembleia, é preciso que tenha o item específico da solicitação de pintura. Muitos condomínios assumem em suas Convenções a obrigação de 50% de quórum na 1ª chamada, e a autorização da maioria, com qualquer número de condôminos que participaram na 2ª chamada.

 

Reformando a fachada e mudando a cor

Para fazer uma mudança completa na fachada, seja reformando ou mudando apenas a cor é necessário que a administração do condomínio verifique a relação de custo benefício. Hoje em dia é possível encontrar muitas tintas especiais, que conseguem ter maior durabilidade, além também de possuir melhores rendimentos e mais qualidade no final. Ultimamente outra opção que tem sido muito utilizada, pensando na praticidade na hora de fazer a manutenção é o revestimento pastilhas, já que dispensa pintura e exige somente uma lavação a cada 3 anos.

 

Escolhendo a cor

Quando for a mudar a cor do condomínio várias condições precisam ser notadas, como por exemplo, as novas tendências de cores, e que surgem a cada momento, ou até mesmo as tonalidades preferidas dos condôminos e as que oferecerão melhores resultados.

As cores claras sugam menos calor, mas em compensação, realçam mais as sujeiras e as falhas da construção.

A maioria das lojas especializadas em tintas possuem programas que já conseguem fazer a simulação mostrando o como ficará o resultado da alteração de fachada para cada escolha de cor. Essa ferramenta tem sido muito utilizada e tem ajudado muitos síndicos na hora de definir a cor.

 

Avaliações na contratação

Na hora de contratar uma empresa terceirizada e especializada em pinturas de condomínios, é preciso cumprir os padrões comuns de qualquer prestador de serviços. É sempre bom pesquisar sobre a integridade da empresa, se ela possui registro como pessoa jurídica, a experiência no mercado e dos funcionários, se existe reclamações de outros clientes.

Por meio de orçamentos e pesquisas entre as empresas selecionados no mercado, é provável que o síndico depare com grandes diferenças nos preços, porque dependerá bastante do número de funcionários que serão solicitados para executar o serviço.

 

Não esquecer o contrato

Depois de estabelecer qual a empresa ou profissional que executará o serviço, os administradores do condomínio precisam formalizar um contrato bem elaborado de prestação de serviços contendo todas as cláusulas cabíveis.

Porque em caso da empresa não cumprir com o que foi contratado e que se encontra no contrato, o gestor do condomínio pode solicitar pagamento de multa.

 Fique atento nas dicas do portal Síndico Legal, e não faça a manutenção da fachada do seu condomínio de forma errada!

 

Toheá Ranzeti – Redação Síndico Legal

 

Leia mais notícias aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here