Estudo revela quais as áreas comuns mais utilizadas em condomínios

0
188

As piscinas aparecem entre os itens de lazer que geram mais despesa para o condomínio e seu uso varia de acordo com a região; piscinas cobertas e aquecidas ganham destaque


Quadras poliesportivas e áreas específicas para crianças lideram preferência dos moradores, além do baixo impacto que representam às despesas desses residenciais


As áreas comuns de condomínios são um diferencial importante na hora de comercializar os imóveis de alto padrão. Além dos atrativos cada vez mais similares a clubes ou resorts, os compradores acabam levando em conta os custos de manutenção desses espaços, o impacto dessas áreas em seu cotidiano e a periodicidade e a maneira que é realizada essa manutenção. Um estudo realizado pela paulista Manager Gestão Condominial, com 1,2 mil moradores de diferentes padrões de edifícios, apontou que as quadras são os espaços mais usados por moradores até 18 anos (45% de uso ao ano) e pelos adultos (40% de uso ao ano) e representam menos de 1% dos gastos anuais do condomínio.

Os dados apontam também que as áreas específicas para as crianças são muito frequentadas. Os playgrounds são utilizados 44% ao ano, a brinquedoteca 45% e o salão de jogos 49%, com impacto nos gastos anuais muito baixo. Entre os moradores adultos, as salas de ginástica são as mais usadas, 38% ao ano, com custo médio de 3% nas despesas do condomínio por ano.

Salão de festas e espaços gourmet são mais utilizados aos fins de semana, por isso aparecem como os de menor ocupação, 2% ao ano. Porém, participam com menos de 1% nos custos anuais do condomínio. “As áreas de lazer têm forte impacto na decisão de compra de um novo imóvel, pois oferecem conforto, segurança, praticidade e comodidade aos moradores no dia a dia, além de agregar valor numa futura revenda”, afirma o diretor da Gadens Incorporadora, Thiago Gadens, de Curitiba. Ele diz que foi justamente a relação entre custo de manutenção e uso real dos espaços que levou a empresa a realizar pesquisa de mercado para definir as áreas de lazer do Lillé, empreendimento de alto padrão em construção na Vila Izabel.

O síndico Fabiano Martins Zequin, do Parc Rocher, localizado na Gleba Palhano (zona oeste), relata que em seu condomínio o playground e a brinquedoteca são pouco utilizados porque há poucas crianças no prédio. Segundo ele, o condomínio disponibiliza fitness center (academia de ginástica), piscinas (externa e coberta), sauna, espaço para prática de pilates, espaço gourmet (ambiente gastronômico com cozinha), bicicletário, espaço zen, quadra poliesportiva, lounge (espaço comum confortável), entre outros atrativos. “No nosso edifício os locais mais utilizados são o espaço gourmet, seguido pela churrasqueira, forno a lenha, a piscina e academia”, enumerou.

Ele explicou que os espaços se pagam com o aluguel deles para os moradores. “O dinheiro que arrecadamos do morador é voltado 100% para os espaços. Hoje o salão de festas custa 170 reais para ser usado, porque abriga quase 60 pessoas.

 

O espaço gourmet é alugado por 112 reais e comporta 50 pessoas. Essa taxa de utilização cobre o custo de energia e uso de detergente e bucha, para que o morador não precise trazer material algum para esses espaços. A gente já precisou trocar o tecido do sofá e foi feita manutenção com esse valor arrecadado pelo uso do espaço”, afirmou. Ele explicou que ficou bastante satisfeito com as áreas comuns que foram entregues pela construtora do prédio, mas os moradores fizeram investimentos para complementar as benfeitorias. “O projeto foi bem pensado. Nosso condomínio é diferenciado”, disse orgulhoso. Mesmo assim, os moradores decidiram equipar mais o local. “Aumentamos a esteira e o elíptico na academia, complementamos os equipamentos de pilates, no salão de festas adquirimos talheres e panelas mais finas, aumentamos os brinquedos da brinquedoteca. Colocamos televisores e aparelhos de ar-condicionado onde não tinha”, destacou.

Nos locais em que não é cobrado taxa de uso, ele relata que as despesas são rateadas entre os moradores. “A academia, piscina e a sauna recebem manutenção preventiva diária. Recentemente o exaustor da churrasqueira estragou e a despesa foi dividida entre todos os moradores”, expôs.

Ainda segundo estudo da Manager Gestão Condominial, as piscinas aparecem como os itens de lazer que geram maior despesa para o condomínio e baixo uso, especialmente em regiões mais frias e com grande oscilação de clima, como Sul e Sudeste. O custo de manutenção da piscina aquecida representa cerca de 6% dos gastos do condomínio, com uso anual de apenas 27% por crianças e adolescentes e de 22% por adultos. A piscina sem aquecimento gera uma despesa média de 2% ao ano ao conjunto de moradores, com frequência de uso ainda menor: 14% para menores de 18 anos e 6% para adultos.

No Florais EcoResort e Residence, que fica na Gleba Fazenda Palhano (zona oeste),a piscina é um dos ambientes mais utilizados. Quadra- 304 unidades. Temos mais de mil moradores. Quem observa isso é o síndico do condomínio, Luiz Guilherme Gelain, afirma que cada condomínio tem suas particularidades e o deles funciona como se fosse um condomínio clube. “Temos mais de 20 ambientes. Aqui temos a piscina aquecida e fria, academia, spa, sauna, quadra poliesportiva, quadra de tênis, boliche, salão de festas, churrasqueiras, salão gourmet, salão de festa infantil, brinquedoteca, espaço mulher, autorama, playground, entre outros atrativos”, descreveu. Além das piscinas, as quadras são muito utilizadas. “A quadra de tênis é uma das mais frequentadas. A quadra poliesportiva fica aberta das 6 horas até 22 horas e nesse período se ficar duas ou três horas sem utilização é muito”, declarou.


Leia mais notícias aqui!

Fonte:Folha de Londrina

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here