Empresa é condenada por furtos em apartamentos e falha na segurança

0
420

Os condomínios sempre foram vistos como uma solução segura de moradia. Entretanto, os assaltos a condomínios têm sido cada vez mais frequentes.

 

 

Quadrilhas cada vez mais especializadas aproveitam-se das falhas de segurança existentes e invadem os condomínios para realizar os roubos.

O Tribunal de Justiça de São Paulo(TJSP) condenou uma empresa que presta serviços de portaria e segurança a pagar uma indenização aos autores, residentes na cidade de São Paulo, a título de danos materiais e morais pelos furtos nos apartamentos dos condôminos.

Conforme a decisão, houve falha na segurança e entende que um dos porteiros contratados pela empresa deixou de observar as os procedimentos internos de segurança do condomínio, possibilitando que pessoas estranhas entrassem no edifício sem dificuldades.

Invadiram os apartamentos e furtaram objetos pessoais e de valor. Os homens também saíram do condomínio com tranquilidade, sem que ninguém os abordasse.

O valor da indenização foi fixado em R$13.800,00 (treze mil e oitocentos reais) pelos danos materiais e R$10.000,00 (dez mil reais) pelos danos morais para cada um dos condôminos ora demandantes.

O relator do recurso, desembargador Cesar Luiz Almeida, afirmou, em sua decisão, serem pertinentes as indenizações pelos danos morais e materiais.

 

Considerando que a requerida foi contratada pelo condomínio para prestar os serviços de monitoramento e vigilância e tendo em vista ser proibido o acesso de pessoas estranhas no condomínio, sem prévia identificação e autorização, resta evidente a falha na prestação do serviço de segurança”,

– destacou o desembargador.

 

 

Síndico e a segurança

Apesar de, geralmente, bem planejados na maioria dos casos, os assaltos a condomínios são frutos de brechas existentes nos sistemas de segurança. Após anos de experiência na gestão de segurança de condomínios residenciais e comerciais.

Para evitar falhas, é importante conter as regras da portaria no regimento interno condominial e devem ser apresentadas aos funcionários durante o treinamento.

Assim, quando um morador ou mesmo o próprio porteiro quebrar as regras, o síndico pode utilizar o documento como base para as tomar as atitudes necessárias.

O síndico deve estabelecer as regras para o controle de entrada de condomínio, cadastro de prestadores de serviços, recebimento de encomendas, além dos deveres do porteiro.

Dar um treinamento adequado ao porteiro e ter certeza que o funcionário está qualificado para o trabalho é fundamental. Essa tarefa é de responsabilidade do síndico.

Um erro frequente em condomínios que possuem um alto fluxo de pessoas. É deixar a portaria aberta ou sem ninguém.

É preciso estabelecer uma organização que permita ao porteiro manter a entrada e saída de pessoas sob controle. A ausência de supervisão da portaria poderá resultar na entrada de desconhecidos dentro do prédio que podem render o porteiro e causar sérios problemas.

Em Curitiba, homens furtaram pelo menos quatro apartamentos de um condomínio. A ação dos suspeitos foi gravada por câmeras de segurança. Em um dos apartamentos, os suspeitos arrombaram a porta, que quebrou ao meio.

Uma das vítimas afirmou que teve o carro furtado. Segundo ele, os autores do furto reviraram os apartamentos.

Um problema bastante comum em portarias é permitir que os porteiros realizem outras funções além das designadas a eles. É tarefa do porteiro verificar se os ocupantes de carro realmente são moradores ou visitantes autorizados a entrar.

É importante que o síndico sempre esteja por dentro do que está acontecendo na portaria e cobre a empresa contratada o que for não considerar correto ou o que precisar ser mudado.

 

 

Geiseane Lemes – Redação Síndico Legal

 

Leia mais matérias exclusivas aqui!

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here