Dengue pode ser confundida com a Covid-19, principalmente em crianças

0
36
Segundo os infectologistas, ambas as doenças se manifestam de maneiras bem similares
Segundo os infectologistas, ambas as doenças se manifestam de maneiras bem similares

Não é novidade que os sintomas iniciais da dengue têm se confundido muito com os sintomas da Covid-19. E existe também a situação contrária, onde os médicos muitas vezes aguardam um resultado de exame positivo para a covid-19, e não imaginam a possibilidade de ser dengue, e que pode se agravar perigosamente. E essa confusão toda de diagnóstico tende a acontecer mais em crianças e adolescentes.

Segundo os infectologistas, ambas as doenças se manifestam de maneiras bem similares. As duas causam dores de cabeça, deixam o corpo dolorido, provocam a fadiga e também diarreia. E isso pode acontecer com qualquer pessoa, de qualquer idade. O grande diferencial para se suspeitar de uma covid seriam os sintomas respiratórios, como por exemplo, coriza, dor de garganta, tosse e principalmente a falta de ar.

 

 

Mas o problema está exatamente no fato de que as crianças não têm apresentado sintomas muito expressivos da covid. Cerca de 30% das crianças que procuram atendimento médico com covid não apresentam nenhuma tosse, no lugar disso, apresentam sintomas como dor abdominal forte, estômago embrulhado e intestino solto. Somente alguns apresentam febre. E se por um acaso a região que essa criança vive tiver um surto de dengue, pode ser que o médico tenha a suspeita, mas muitas vezes acaba passando batido.

E se realmente for covid e o médico somente acredita que seja dengue, ele irá passar os medicamentos para o tratamento, e não irá orientar para que essa criança fique em isolamento, e assim ela espalhará o novo coronavírus, que passou despercebido, se confundindo com a dengue.

 

 

Por outro lado, cerca de 20% das crianças que tem a dengue apresentam o sintoma de uma tosse chata e seca. O que acaba também confundindo e levando ao diagnóstico errado. O que geralmente ajuda a descobrir o que a criança tem é o histórico da criança, como aonde esteve, se viajou, se teve contato com muitas pessoas, entre outras informações.

Se o exame para covid demorar para sair o resultado, a família pode se prevenir permanecendo em isolamento até que se tenha certeza do diagnóstico, e principalmente, ficar de olho nessa criança para acompanhar os sintomas, e caso piorar, independentemente de ser dengue ou covid, voltar ao médico para novo tratamento.

 

 

Os pais também podem pedir o exame para dengue, mesmo que o exame demore um pouco para sair o resultado. É essencial que se chegue a um diagnóstico para que a criança receba o tratamento adequado e não corra nenhum risco de vida, já que ambas as doenças aqui discutidas podem levar à morte. O importante é não descuidar para ambos os diagnósticos.

Redação Síndico Legal – Toheá Ranzeti

 

LEIA TAMBÉM

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here