Pesquisas que o síndico deve fazer ao escolher uma Administradora

0
1050
Administradora de Condomínios

Quando um condomínio contrata uma administradora, é importante que os condôminos tenham ciência de que apenas o síndico pode interferir e dar ordem a ela, mas, antes disso, é necessário tomar algumas precauções, como pesquisar a fundo a empresa que será contratada.

 

 

De acordo com especialistas, deve-se analisar pelo menos três empresas por meio do levantamento cadastral completo, a fim de identificar como está a procedência da administradora no mercado e se os seus dados estão de acordo com a sua atividade de atuação.

 

 

É importante analisar se as empresas possuem ações, e de que tipo, e se sofreram denúncias a órgãos de defesa do consumidor, nessa mesma avaliação, recomenda-se verificar a Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE), presente no CNPJ das empresas, que deve corresponder ao código 6822-6/00, ou seja, Administração de Imóveis de Terceiros, direcionado para condomínios prediais, residenciais e comerciais.

Garantindo assim, que a contratação do serviço estará oficialmente de acordo com a área de atuação e com a necessidade do condomínio.

 

 

Além da conferência dos dados, é imprescindível verificar se a empresa escolhida para executar a atividade administrativa do condomínio está cadastrada no Conselho Regional de Administração (CRA) e se há especificação “ Administração de Condomínio” na definição do objeto do contrato de prestação de serviço, pois, assim, poderá contar com o amparo do Conselho de Ética do ente disciplinador da categoria em caso de alguma irregularidade.

 

 

Tão relevante quanto a confirmação dos dados empresariais, sobretudo, se torna a verificação do comprometimento da empresa em atender as exigências normativas e legais, e se resguardar de que a mesma está em constante atualização.

De acordo com a administradora de empresas, Rosely Benevides de Oliveira Schwartz, os síndicos devem solicitar informações sobre o sistema de trabalho das administradoras e não é recomendado optar por uma empresa que somente tenha nome no mercado ou preço abaixo da concorrência.

 

 

“Tanto o síndico como os moradores precisam se conscientizar que para poder contar com um trabalho de qualidade, em que a empresa assume as responsabilidades sobre a gestão, como parceira, tendo total controle de todos os processos, cumprindo todas as exigências legais, inclusive propondo redução de custos e benfeitorias, o preço do serviço provavelmente será superior à média de mercado”, afirmou.

Além da taxa administrativa, é interessante que o síndico também questione quais serão os valores adicionais cobrados periodicamente pela empresa, para evitar surpresas, como taxas por emissão de boleto, cópias, acompanhamento tributário e serviço para o registro de ata, por exemplo.

 

Administradora de Condomínios

É uma empresa, escolhida pelo síndico e confirmada, de comum acordo, pela maioria dos condôminos em assembleia.

Ela será responsável pelos trâmites administrativos do condomínio.

Vale frisar que não há uma obrigação legal do condomínio em contratar uma empresa especializada para gerenciar tais atividade, que podem ser delegadas ao síndico morador ou a um profissional contratado.

 

Por: Juliana Zefiro | Redação Sindico Legal

 

Leia mais conteúdo exclusivo aqui!

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here