Cuidados e procedimentos necessários nas reformas e edificações das áreas comuns.

0
391
Cuidados e procedimentos necessários nas reformas e edificações das áreas comuns.

Caso sejam executadas reformas nas áreas comuns e nas unidades, é importante que se tomem os seguintes cuidados: O edifício foi construído a partir de projetos elaborados por empresas especializadas, obedecendo à legislação brasileira e às normas técnicas.

A construtora e/ou incorporadora não assume responsabilidade sobre mudanças (reformas). Esses procedimentos acarretam perda da garantia;

Alterações das características originais podem afetar os seus  desempenhos  estrutural,  térmico e acústico dos sistemas do edifício etc. Portanto, devem ser feitas sob orientação de profissionais/ empresas especializadas para tal fim.

 

 

As alterações nas áreas comuns, incluindo a alteração de elementos na fachada, só podem ser feitas após aprovação em assembleia de condomínio, conforme definido na convenção de condomínio; Consulte sempre um profissional habilitado tecnicamente para avaliar as implicações nas condições de estabilidade, segurança, salubridade e conforto, decorrentes de modificações efetuadas;

As reformas deverão seguir as diretrizes das normas da ABNT referentes aos sistemas que sofrerão alterações;

 

 

As reformas somente deverão ocorrer em consonância com a norma ABNT NBR 16280   específica sobre a gestão das reformas;

As reformas do edifício deverão atender na íntegra as definições descritas no regimento interno do condomínio e legislações que tratam desse assunto;

Após as reformas, os manuais da edificação deverão ser adequados conforme determina a ABNT NBR 14037.

Incumbências ou encargos em caso de reforma de acordo com a ABNT NBR 16280

 

Responsabilidade Legal das Edificações: 

Antes do início da obra de reforma, cabe ao responsável legal da edificação:

Disponibilizar os requisitos e ações necessárias para realização de reformas além das previstas na convenção de condomínio e regimento, quando condomínio. (por exemplo, documentos exigíveis, horário de trabalho, trânsito de insumos e prestadores de serviço, entre outros);

Requerer a necessária atualização do manual de operação, uso e manutenção da edificação, observadas as normas pertinentes vigentes;

Receber as documentações ou propostas da reforma;

Encaminhar a proposta de reforma para análise técnica e legal;

Formalizar, com base na análise, resposta à solicitação nos seguintes termos e justificativas (aprovado, aprovado com ressalvas ou rejeitado);

Autorizar a entrada na edificação de insumos e pessoas contratadas para realização dos serviços de reforma somente após atendimento a todos os requisitos do plano de reforma;

Promover a comunicação e disseminação entre os demais usuários sobre as obras de reforma na edificação que estiverem aprovadas.

 

 

 

Durante as obras de reforma

Verificar ou delegar a terceiros o devido atendimento ao plano de reforma, para assegurar condições necessárias à realização segura das obras;

Cumprir e fazer cumprir as deliberações em relação às obras aprovadas, em atendimento à convenção, ao regimento interno e às determinações da assembleia, quando condomínio;

Tomar as ações legais necessárias, sob qualquer condição de risco iminente para a edificação, seu entorno ou seus usuários.

 

 

Após as obras de reforma:

Vistoriar ou delegar para terceiros as condições de finalização da obra concluída;

Receber o termo de encerramento das obras emitido pelo executante e o manual atualizado, nos termos  da ABNT NBR 14037;

Encerrada a obra nos termos descritos em 6.1.3 (b), cancelar as autorizações para entrada e circulação de insumos ou prestadores de serviço da obra;

Arquivar toda a documentação oriunda da reforma, incluído o termo de encerramento das obras emitido pelo executante, conforme Seção 7.

 

 

Proprietário de unidade autônoma, quando edificação em condomínio

 

Antes do início da obra de reforma:

Encaminhar ao responsável legal da edificação o plano de reforma e as documentações necessárias que comprovem o atendimento à legislação vigente, normalização e regulamentos para a realização de reformas.

Durante as obras de reforma:

Diligenciar para que a reforma seja realizada dentro dos preceitos da segurança e para que atenda a todos  os regulamentos.

Após as obras de reforma:

Atualizar o conteúdo do manual de uso, operação e manutenção do edifício e o manual do proprietário,nos pontos em que as reformas interfiram conforme os termos da ABNT NBR 14037. No caso de inexistência deste manual da edificação reformada, as intervenções que compõem a reforma devem ter o manual de uso, operação e manutenção elaborado conforme a ABNT NBR 14037.

 

SAIBA MAIS SOBRE MANUTENÇÃO CONDOMINIAL CLICANDO AQUI!

 

Da redação Sindico Legal

 

FONTE: Guia nacional para a elaboração do manual de uso, operação e manutenção das edificações

 

Leia mais sobre gestão aqui!

LEIA TAMBÉM

 

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here