Cuidados com a instalação de Gás em Condomínio.

0
576

Normalmente Decretos Municipais, regulamentam o sistema de fiscalização, e disposições gerais para utilização de gás combustível nos edifícios e construções.

Em São Paulo é o Decreto Municipal 24.714/1987, segundo esse decreto, quando o gás do condomínio não é canalizado, os cilindros devem ser armazenados fora do prédio, em uma central, a qual distribui o gás por meio de ramais para os apartamentos.

Esse local deve ter ventilação natural, os botijões devem ficar protegidos do sol e da chuva, afastados 1,5 m de ralos, caixa de gordura, e esgoto e não pode haver iluminação.

 

Ao receber os botijões de gás deve-se:

  1. Verificar no lacre e no botijão se o nome da empresa distribuidora é o mesmo;
  2. Passar um produto espumante para detectar vazamento;
  3. Caso apresente vazamento ou corrosão acentuada, o botijão deve ser rejeitado.

Vazamentos:

a)pode correr vazamento se o cone-borboleta não estiver bem ajustado á válvula. Nesse caso repita a instalação;

  1. b) caso o vazamento continue, não tente eliminá-lo com cera, sabão ou querer ouro produto. Ligue para a empresa fornecedora e peça a ela que efetue imediatamente a substituição do botijão.

c)caso o vazamento ocorra em algum apartamento, deve-se verificar se a torneira do gás está fechada e deixar janelas e portas abertas.

Persistindo o cheiro, deve-se avisar o zelador, que telefonará imediatamente para a companhia de gás.

  1. d) Quando houver cheiro de gás, nunca se deve fumar, acender ou apagar as luzes, e também não se devem ligar aparelhos elétricos, pois a menor faísca pode provocar uma grande explosão.

Os aparelhos que usam gás devem ser revisados a cada dois anos por profissionais habilitados da distribuidora.

É recomendado que a tubulação da central de gás, inclusive os medidores, sejam inspecionados anualmente por profissionais habilitados, bem como seja realizado teste de estanqueidade em todos os ramais dos apartamentos.

 

Após o serviço, o profissional deve emitir um atestado e recolher o ART.

 

As despesas com a inspeção da central dos ramais e do atestado são de responsabilidade do condomínio (Código civil artigo 1331 §2º) cabendo ao condômino a despesa referente aos problemas encontrados após o registro dentro da sua unidade, como a mangueira do fogão com data de validade vencida, que deverá ser trocada mesmo que não apresente vazamento.

Quando por exemplo, for identificado vazamento em vários apartamentos e o orçamento mensal não comportar o pagamento, o síndico deverá dar inicio a obra e convocar imediatamente uma assembleia para aprovação de rateio ou solicitar autorização para utilizar o fundo de reserva.

Fazem parte das normas da ABNT referentes a gases combustíveis: NBR 13.523/2008- Central de gás liquefeito de petróleo- GLP e NBR 15.526/2016 Rede de distribuição interna para gás combustíveis em instalações residenciais e comerciais, projetos e execução da central de gás.

 

Fonte: Rosely Benevides de Oliveira Schwartz- Revolucionando o Condomínio.

 

LEIA TAMBÉM

Gostou? Compartilhe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here