Coronavírus: a importância da solidariedade e do isolamento

0
386
Coronavírus: a importância da solidariedade e do isolamento

Diante da atual situação em que o mundo todo se encontra, é preciso reforçar a importância de conscientizar a população para que fique em casa durante a quarentena.

Também é importante que em tempos como esse, onde o medo e o caos estão começando a tomar conta das pessoas, que surja mais humanidade e solidariedade, como por exemplo, moradores com faixa etária fora de risco se ofereça para fazer as compras dos idosos que não tem com quem contar, e que não podem sair de casa.

 

 

Muitas pessoas não acreditam ou não entenderam a importância do isolamento social, e muitos deles são os idosos.

Lógico que seguindo as medidas de higienização e cuidados, como lavar bem as mãos, não compartilhar de itens como talheres, toalhas, usar álcool gel, entre outros, é muito importante, mas ficar em casa é essencial, para que ajude as autoridades a reduzir a contaminação, e também evitar que sobrecarregue os hospitais e unidades de saúde.

 

 

Nos condomínios, os síndicos podem fazer campanha e mobilizar os moradores para que os próprios condôminos se ajudem.

 

 

Isolamento 

Coronavírus: a importância da solidariedade e do isolamento

De acordo com a Portaria 356, publicada pelo Ministério da Saúde, no dia 11 de março de 2020, determinam as seguintes medidas de isolamento:

“Art. 3º A medida de isolamento objetiva a separação de pessoas sintomáticas ou assintomáticas, em investigação clínica e laboratorial, de maneira a evitar a propagação da infecção e transmissão local.

  • 1º A medida de isolamento somente poderá ser determinada por prescrição médica ou por recomendação do agente de vigilância epidemiológica, por um prazo máximo de 14 (quatorze) dias, podendo se estender por até igual período, conforme resultado laboratorial que comprove o risco de transmissão.
  • 2º A medida de isolamento prescrita por ato médico deverá ser efetuada, preferencialmente, em domicílio, podendo ser feito em hospitais públicos ou privados, conforme recomendação médica, a depender do estado clínico do paciente.
  • 3º Não será indicada medida de isolamento quando o diagnóstico laboratorial for negativo para o SARSCOV-2.
  • 4º A determinação da medida de isolamento por prescrição médica deverá ser acompanhada do termo de consentimento livre e esclarecido do paciente, conforme modelo estabelecido no Anexo I.
  • 5º A medida de isolamento por recomendação do agente de vigilância epidemiológica ocorrerá no curso da investigação epidemiológica e abrangerá somente os casos de contactantes próximos a pessoas sintomáticas ou portadoras assintomáticas, e deverá ocorrer em domicílio.”

 

 

Isto é, segundo o monitoramento que é feito pelos agentes de saúde públicos, os familiares ou conhecidos que tenham tido contato com uma pessoa infectada deverão cumprir o isolamento domiciliar, mesmo que não apresente sintomas da doença.

Se a pessoa estiver tossindo, com coriza, é recomendado que não vá para hospitais nem postos de saúdes.

É preciso observar os sintomas e acompanhar a evolução. Caso seja um outros vírus, na maioria das vezes poderá ser tratado em casa, com os cuidados básicos já conhecidos pela população.

Agora os casos que estiverem mais graves, como por exemplo, pessoas que fazem parte dos grupos de riscos, ou que estão com sintomas mais sérios, como febre alta, dificuldades respiratórias, entre outros sintomas, devem procurar uma unidade de saúde, sempre utilizando máscaras, para ajudar no combate ao Covid-19.

O portal Síndico Legal alerta que a calma se faz necessária nos dias de hoje, e que com tranquilidade, juntos todos iremos superar essa fase!

 

 

Toheá Ranzeti – Redação Síndico Legal

 

Leia mais conteúdo exclusivo aqui!

LEIA TAMBÉM

 

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here