Contratos de prestação de serviços

0
478

Administrar um condomínio não é tarefa fácil, não importa seu tamanho, quantas unidades ou quantas torres ele tem, quantas pessoas circulam por dia, quantos carros cabem na garagem, disso todos sabemos.

Ao síndico, toda a responsabilidade. Cabe a ele, mesmo que tenha a seu lado uma excelente administradora, o que muito recomendável, acompanhar de perto quando se contrata uma empresa para a prestação de qualquer serviço.

O processo se inicia com a tomada de preços, aquela pesquisa essencial quando se obtém no mercado pelo menos três propostas, regularmente constituídas, e que apresentem porfólio consistente onde estejam indicados alguns clientes, com nome e telefone.

Com as propostas em mãos se analisa o valor, tempo previsto de execução, tamanho da equipe, materiais que serão utilizados, fatores alegados para possíveis atrasos.

Definido o escopo, acerta-se o preço, firma-se o prazo de pagamento e início das obras do serviço a ser realizado.

Escopo em definido é aquele que estabelece a natureza e o tipo de serviço a ser prestado, o tamanho da equipe de funcionários, materiais e equipamentos que serão utilizados, responsabilidades de cada contratante, prazo estimado de execução, cuidados a serem observados durante o andamento, a legislação a ser atendida, condições para o aceite da obra.

Reputo importantíssimo defini-lo à custa, quando for o caso, de contratação de técnico especializado. Sempre valerá a pena.

No quesito materiais é preciso que conste tipo, qualidade, quantidade de cada insumo considerado, deixando muito claro a responsabilidade pelos custos de eventuais retrabalhos.

 

 

Escolhida a empresa, é hora de checar suas credenciais: entrar em contato com alguns de seus clientes para saber da qualidade do serviço prestado e o grau de satisfação; se for possível, visitar pelo menos uma de suas obras; solicitar a minuta de seu contrato de prestação de serviços – CPS e cópia do contrato social ou alguns dados cadastrais como razão social, CNPJ, atividade empresarial, endereço e telefone da sede, nome dos sócios e fornecedores principais.

Assina-se, então, o CPS, do qual deve fazer parte a comprovação de vínculo empregatício dos profissionais que irão efetivamente executar os serviços contratados com a empresa, e, a depender do porte da obra, da apólice de seguro específica.

Providencia-se com certa antecedência, uma circular para que todos os condôminos fiquem cientes de que as obras irão se iniciar dentro de alguns dias se programem.

Sim, como a limpeza de fachada com produtos químicos, quando todos serão avisados de que os vasos com plantinhas e móveis da sacada terão que ser removidos para não serem atingidos e a área ajardinada no entorno do prédio será protegida.

Supondo não haja nenhuma intercorrência digna de nota no decorrer dos serviços, chega-se ao final dos trabalhos.


Fonte: O Condomínio e Você – Orandyr Teixeira Luiz.

Leia mais sobre gestão aqui!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here