Começa trabalho para escorar apartamentos de prédio com rachaduras no Morumbi

0
562

Condomínio apresenta rachaduras desde 2015 e foi interditado nesta semana pela Defesa Civil.

Moradores de um condomínio no Morumbi, na Zona Sul de São Paulo, estão há 4 dias fora de casa depois que Defesa civil interditou um prédio por causa de rachaduras, que estão aumentando. , vigas de escoramento foram colocadas nos apartamentos do prédio mais afetado.

O problema vem sendo constatado desde 2015, mas só agora os prédios foram interditados, devido ao risco aos moradores do condomínio “Libertê Morumbi”, que tem 182 apartamentos, que foram esvaziados pelos bombeiros na rua Rua Marie Nader Calfat.

Desde terça, eles não podem entrar nos prédios por conta dessas rachaduras enormes, que permanecem aumentando na torre Dijon, a mais atingida.

Às 12h, um caminhão da empresa SH, contratada pela construtora DMF, que fez o condomínio, trouxe material para escoramento. As vigas estão sendo colocadas nos apartamentos dos fundos, onde a situação é pior. Elas vão de um quarto a outro pelo corredor para diminuir a pressão sobre o andar debaixo.

O engenheiro contratado pelos moradores para acompanhar o processo, Marcos Toth, explica que o escoramento é paliativo. “Esse escoramento é feito lá no ponto crítico do prédio que teve o problema, e ele é feito debaixo pra cima, e vai ser feito em todos os andares”, disse ele.

A Defesa Civil está acompanhando a segurança do trabalho, que deve durar até quatro dias. Ainda não se sabe se as famílias vão poder voltar para casa depois.

“Nós estabelecemos um sistema de comunicação caso haja algum sinal de colapso. Nós temos uma comunicação por apito e todos que estão no interior do prédio estão orientados a saírem rapidamente da edificação”, disse o coordenador adjunto da Defesa Civil da cidade de São Paulo, Edilson Ramos de Quadros.

Alguns moradores dos apartamentos que ainda serão escorados puderam entrar no prédio e pegar alguns pertences.

“Na hora em que você tem 5 minutos para pegar, você pega objetos e não pega roupa. Eu quase não peguei roupa”, disse a fisioterapeuta Maria Loureiro.

Nota construtora

“A Construtora DMF iniciou , por cautela e prevenção, sem assunção de culpa, as obras emergenciais dentro do Condomínio Liberte Morumbi. As equipes contratadas pela construtora seguem trabalhando para escoramento das duas torres que apresentaram rachaduras e foram interditadas na última semana pela Defesa Civil.

O escoramento com vigas será feito desde o térreo até o quinto andar e as obras prosseguirão nos próximos dias, sob acompanhamento do Corpo de bombeiros. Desde que o trabalho começou, já foi observado que a movimentação das pareces cessou. Somente após a conclusão da fase de escoramento, uma equipe de engenharia poderá avaliar que tipo de obra será necessária para que os prédios sejam totalmente recuperados.

Paralelamente, a construtora aguarda pelo resultado dos laudos técnicos que estão sendo concluídos para conhecer o que causou danos aos edifícios. A DMF lembra que em momento algum foi notificada a respeito desses possíveis danos estruturais apontados e que situações dessa gravidade não ocorrem de forma inesperada. Por isso, seguirá cooperando com as autoridades na investigação desta ocorrência.”


Leia mais notícias aqui!

Fonte: G1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here