CFTV

0
215

Em condomínios recém implantados, logo surge a preocupação com a segurança, especialmente nas grandes metrópoles.

Às vezes, ainda na assembleia de instalação algum condômino levanta a questão e põe em polvorosa todo o plenário.

Senão, em primeira AGE, o tema vai surgir em toda a sua plenitude: experiências horríveis serão relatadas, casos escabrosos serão contados, envolvendo até crianças e pessoas idosas.

Numa dessas oportunidades, a incompreendida comissão de obras e orçamentos, depois de exaustivo levantamento, apresenta aos presentes alguns cenários, equipamentos e seus preços, abrangência, custos de manutenção, etc.

Certamente dentre esses equipamentos deve constar o CFTV com “n” câmeras, cerca elétrica, controle de acesso, monitoramento remoto, gravação digital, enfim, tudo de última geração.

Em certa medida, até independentemente do padrão do empreendimento, os números causam espanto e alvoroço, pelo menos no primeiro momento, e o “expositor” é abominado.

No decorrer dos debates, conforme os condôminos vão emitindo suas opiniões – uns muito favoráveis, outros nem tanto, e uma parcela visceralmente contra aquele gasto – as convicções irão se formando e, democraticamente, passa a ser possível sugerir uma votação.

O que se pretende ressaltar é a importância de que se reveste uma condução serena quando se discute a segurança de todos os envolvidos.

É preciso constar com a abnegação de condôminos que se dispõem a pesquisar empresas, escopos e preços e, sobretudo, elogiá-los, reconhecendo o trabalhão que tiveram em nome e pelo bem estar de todos.

O conhecido circuito fechado – CFTV, aquele conjunto de câmeras espalhadas em pontos estratégicos tem sido adotado cada vez mais em condomínios, considerando um elemento indispensável à segurança, também pelo efeito psicológico que causa nas pessoas.

É preponderante que essas imagens sejam gravadas por 30 dias, no mínimo, se possível em local remoto, lembrando que o ideal é também os monitores que captam as imagens não fiquem na portaria, tirando a atenção do porteiro para o que ocorre bem ali a sua frente. Seria ótimo se houvesse a central de segurança, onde profissionais dedicados analisariam em tempo real as imagens.

Indispensável, portanto, nem seria preciso ressaltar, a correta manutenção desse equipamento, deixando-o sempre em perfeito funcionamento.

Fonte: O Condomínio e Você – Orandyr Teixeira Luz.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here