As queimadas e a falta de chuva no Pantanal

0
68
queimadas no pantanal
queimadas no pantanal

Os incêndios e a estiagem que há meses estão destruindo o Pantanal vêm também alterando sua paisagem, tanto nos estados do Mato Grosso como do Mato Grosso do Sul. Diante da mais severa seca se comparado aos últimos dez anos, os cursos d’água já apresentam estar secando, e enquanto isso, as nuvens de fumaça encobrem a paisagem. Em alguns pontos, o Rio Paraguai chegou a ficar invisível vendo de longe.

De acordo com os dados apresentados pelo Gerente de Recursos Hídricos do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), Leonardo Sampaio, muito em breve alguns dos principais rios do território sul-mato-grossense chegarão aos níveis mais baixos dos últimos cinco anos.

 

 

O Rio Paraguai, já apresenta níveis bem abaixo em toda a sua extensão estadual, e segundo o Imasul, os rios Miranda, Aquidauana e rio Pardo já demonstram sofrer com a escassez das chuvas. E a tendência é continuar secando pelas próximas semanas.

Segundo o Centro Estadual de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec/MS), por mais que a chuva chegue, será em proporções insuficientes para aumentar o nível dos rios.

 

 

Além do problema com a água dos rios, os incêndios também ameaçam os sítios arqueológicos existentes no Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari. Uma equipe de bombeiros e voluntários trabalharam no combate às chamas, que destruíram cerca de 9 mil hectares de vegetação típica do Cerrado, sendo parte desse território, propriedades rurais.

Mato Grosso

O abastecimento hídrico e a navegação também faz parte da preocupação dos moradores de Mato Grosso. A Prefeitura de Cáceres (MT), tem divulgado fotos em suas redes sociais mostrando a situação das águas do Rio Paraguai, e dos pequenos rios que deságuam nele. O órgão tem alertado os moradores, os navegantes e os donos das embarcações para o risco do rio secar nos próximos dias, bloqueando o acesso ao Rio Paraguai, correndo o risco de encalhar os barcos que não deixarem o local.

 

 

Já na Serra do Parecis, ainda na região de Mato Grosso, próximo a 242km da Capital, Cuiabá, os bombeiros buscam apagar um incêndio em grande proporção. Mesmo contando com o apoio dos produtores rurais e dos moradores da região, não está sendo o suficiente para impedir que as chamas se alastrem rapidamente pra vegetação seca, em meio a áreas de difícil acesso.

O calor, a baixa umidade junto com a fumaça exigem que a população se cuide ainda mais, sem contar com a pandemia do novo corona vírus.

Especialistas recomendam que as pessoas aumentem a ingestão de água, se alimentem com comidas saudáveis, com pouca gordura, sempre que possível lavar as narinas e os olhos com soro fisiológico, utilizar umidificador de ar sempre que necessário, e evitem ao máximo praticar atividades físicas, principalmente nas horas mais quentes do dia.

Redação Síndico Legal: Tohea Ranzeti
Leia mais Variedades aqui!

 

LEIA TAMBÉM

 

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here