Apartamentos com menos de 4 anos em Rio Claro têm problemas e moradores cobram solução.

0
314
Apartamentos com menos de 4 anos em Rio Claro têm problemas e moradores cobram solução.
Rachaduras e infiltrações causam transtornos. Os proprietários dizem que já procuraram a construtora e a prefeitura, mas ainda aguardam providências e caso está na Justiça.

Moradores do Condomínio Espanha, em Rio Claro (SP), reclamam de rachaduras, infiltrações e outros problemas nos apartamentos com menos de quatro anos.

Os proprietários dizem que já procuraram a construtora e a prefeitura, mas nada foi resolvido. Agora o caso está na Justiça.

A Secretaria Municipal de Habitação informou que, apesar de não ser responsável pelo empreendimento, acompanha de perto os problemas.

A Construtora Direcional Engenharia disse que executou as obras conforme os projetos aprovados, obedecendo todas as normas técnicas.

Transtornos

Os moradores já realizaram várias melhorias no condomínio, como muro na entrada com portão automático, guarita e câmeras de segurança. O dinheiro, arrecadado entre eles, veio também de doações de uma igreja evangélica.

“Todos os materiais são doados: tijolos, ferro, ciumento, Nos unimos para fazer o muro e melhoria do nosso condomínio”, disse o síndico Fabrício Henrique Poli.

Os prédios fazem parte de um programa habitacional com subsídio do programa “Minha Casa, Minha Vida” e com financiamento pelo Banco do Brasil.

As 80 unidades foram entregues há quase quatro anos e pouco tempo depois surgiram os primeiros problemas.

“Começamos a ver muitas rachaduras dentro e fora dos apartamentos. Quando chovia, a água se infiltrava”, disse o síndico.

Um andar inteiro está sem o piso frio no hall. Dentro dos apartamentos, vários pisos se soltaram. A dona de casa Jaqueline Firmino contou que a filha bebê quase cortou os pés.

Os moradores dizem que a Construtora Direcional Engenharia pecou até nos detalhes. Os dutos para a passagem dos cabos de antena, por exemplo, estão entupidos por cimento. Por isso, a fiação fica toda para fora pendurada. O encanamento de gás está todo enferrujado.

A trabalhadora de serviços gerias Maria Barbosa disse que dias atrás chegou em casa e a cozinha estava toda alagada. Segundo ela, geralmente volta água pelos ralos. “Tive que tirar toda a água e jogar no banheiro para ir embora. Eu não sei mais o que fazer”.

Outro problema são as caixas de esgoto e de gordura. Os moradores dizem que a tubulação não dá conta e o sistema vive entupindo.

O Condomínio Espanha faz parte do Parque nas Nações II, que reúne outros cinco condomínios iguais. Em maio do ano passado, a Defensoria Pública chegou a fazer um relatório sobre os problemas.

O advogado Fábio Polido Calis, que representa os moradores, conta que um inquérito está na Justiça, mas é muito demorado.

“Esse inquérito civil vem desde o começo do empreendimento vem analisando estruturas, erros e atitudes da construtora e, principalmente, o não fornecimento do contrato que é mínimo que cada morador deveria ter”, afirmou.
O que dizem os envolvidos

A Defensoria Pública afirmou que os moradores apresentaram um relatório expondo os problemas e que uma perícia extrajudicial foi enviada pela defensoria no ano passado solicitado providências.

Como nada foi feito, um dos últimos encaminhamentos realizados pelo núcleo de habitação foi a sugestão de reunião com o Ministério Público antes do ajuizamento de ação civil pública.

A Construtora Direcional Engenharia disse que executou as obras conforme os projetos aprovados, obedecendo todas as normas técnicas.

Sobre os problemas apresentados na reportagem, a construtora explicou que algumas garantias contratuais já venceram como, por exemplo, a caixa de esgoto, mas que mesmo assim, quando há demanda, a empresa realiza a vistoria técnica em conjunto com o síndico e com o morador.

A construtora ressaltou também que mantém os canais de atendimento abertos aos proprietários para que procedimentos técnicos sejam agendados. A empresa esclareceu ainda que os donos dos imóveis receberam toda a documentação necessária e obrigatória por parte da construtora.

Já o Banco do Brasil informou que cumpre todas as obrigações legais e contratuais e que a responsabilidade é da construtora pelo prazo de até cinco anos a contar da entrega do imóvel.

O banco esclareceu ainda que, quem precisar de segunda via do contrato, precisa fazer a solicitação na agência responsável pela operação.

Fonte:G1(São Carlos e Araraquara)

 

Leia mais Notícias clicando aqui!

 

LEIA TAMBÉM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here