A liberação das áreas comuns dos condomínios.

0
101
A liberação das áreas comuns dos condomínios.

 

Mesmo com as notícias de supostas vacinas que estão sendo testadas, é certo que a pandemia causada pelo coronavírus não irá acabar tão cedo.

E isso acaba deixando a população ainda mais cansada, principalmente para quem mora em condomínio, pelo fato de não poder desfrutar das áreas comuns do empreendimento, o que acaba causando certa pressão nos síndicos para que sejam menos rígidos quanto às regras.

Seguindo e obedecendo as leis e decretos governamentais, juntamente com o retorno das atividades econômicas, respeitando o limite de pessoas nos locais públicos, alguns síndicos e administradoras de condomínios já começaram a liberar progressivamente as áreas comuns dos empreendimentos. As liberações estão sendo feitas com bastante atenção nos seguintes quesitos:

– Protocolos de limpeza

– Segurança jurídica

– Ouvindo moradores e condôminos

– Cuidados com a saúde dos moradores e funcionários

 

 

Enquanto a vacina não chega, é necessário que as pessoas sigam as recomendações internacionais de prevenção, para que ajudem a diminuir a contaminação, são elas:

– Uso de máscara facial

– Higienização das mãos

– Distanciamento social

– Limpeza e higienização dos ambientes

Segurança jurídica: obedecer aos decretos e lidar com os condôminos

 

O síndico deve procurar saber como está a questão dos decretos estaduais e municipais na região, principalmente os que tratam de deliberações para condomínios. Caso tenha, os mesmos precisam ser respeitados.

Caso não tenha nenhum decreto específico que tenha relação com condomínios, é relevante partir para as normas jurídicas.

Para isso, o síndico precisa da aprovação dos condôminos, já que o Presidente Jair Bolsonaro, vetou o artigo na Lei, que dava ao síndico total liberdade para tomar decisões e até mesmo punir quem não as cumprisse.

A recomendação é para que antes de definir a reabertura das áreas comuns, é de que o síndico converse com os condôminos, e cheguem num consenso juntos.

Lembrando que, ao reabrir as áreas comuns, existe um risco grande de exposição, e com isso, um risco grande também de contágio da Covid-19, tendo em vista que a circulação de pessoas pelo condomínio ficará maior.

Devido isso, é muito importante que a decisão de reabertura seja em comum acordo entre síndico e moradores, e também é importante que seja comunicado a todos a decisão, para que as pessoas se tornem responsáveis pelo uso das determinadas áreas.

 

 

Planejando a liberação das áreas comuns

 

Especialistas recomendam que os síndicos façam um planejamento para poder fazer um acompanhamento melhor da reabertura das áreas comuns do condomínio. Assim, poderá ser feita de forma organizada, e que evite problemas com os condôminos.

 

 

Para fazer o planejamento dessa liberação é interessante que leve em consideração as necessidades e as particularidades de cada imóvel, por exemplo:

– Quantidade e o perfil dos condôminos

– Tipo de condomínio (residencial ou comercial)

– Estrutura física

– Circulação de pessoas

– Quantidade de casos suspeitos ou confirmados

– Quesitos de limpeza e higienização

– Horário de maior procura

 

 

Limpeza

Para que as áreas comuns do condomínio sejam liberadas, é necessário criar uma espécie de protocolo de limpeza, para que as pessoas utilizem esses ambientes com ‘segurança’.

– Garantir a disponibilização das EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) para os funcionários da limpeza do condomínio;

– Sempre ter em estoque materiais de limpeza, principalmente álcool 70% e álcool em gel;

– Combinar uma rotina de limpeza;

– Sempre antes de abrir e fechar as academias e playgrounds, principalmente quando o condomínio possuir um caso confirmado de Covid-19;

– Sempre higienizar e desinfetar as áreas e superfícies mais utilizadas, tais como: maçaneta, elevadores, corrimão, puxadores.

 

 

Divulgação das regras

Para que a liberação do uso das áreas comuns aconteça sem maiores problemas, é importante que o síndico comunique os condôminos quanto as regras para a reabertura.

Na maioria dos casos, se fala até em punição que estão previstas no Regulamento Interno.

E fica a critério do síndico ou da administradora do condomínio usar as ferramentas que lhe são disponíveis para divulgar essas regras:

– Site

– E-mail

– Aplicativo

– Informativos em murais e elevadores

– Whatsapp

Síndico saiba fazer a reabertura do seu condomínio com consciência, para que ninguém saia prejudicado. E incentive todos os moradores e funcionários a utilizarem máscaras e fazerem a higienização correta com o álcool em gel!

Toheá Ranzeti – Redação Síndico Legal

Leia mais Conteúdo Exclusivos clicando aqui!

 

LEIA TAMBÉM

INSCREVA-SE NA TV SÍNDICO LEGAL CLICANDO AQUI!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here