A dedetização nos condomínios e sua importância com a chegada das altas temperaturas

0
74
A dedetização nos condomínios e sua importância com a chegada das altas temperaturas

Ao chegar em épocas com as temperaturas mais quentes, é preciso se atentar com a proliferação de pragas urbanas, e ao se tratar dos condomínios o problema pode ser maior, pois existe uma certa quantidade de pessoas circulando nos ambientes, e essas pragas podem representar um grave risco à saúde das pessoas.

É de responsabilidade do síndico tomar precauções para que esse perigo esteja longe dos condomínios, além de promover um ambiente saudável, seguro e confortável aos condôminos. E para isso, é recomendado fazer serviços de dedetização nos condomínios.

Pensando nisso, o portal Síndico Legal separou algumas informações importantes que vai ajudar a afastar esse problema. Veja!

Dedetização em condomínios

Dedetização em condomínios

Geralmente, as pragas urbanas mais comuns são baratas, cupins, traças, escorpiões, aranhas e morcegos. Algumas dessas podem causar sérios danos, e podem sim ser fatais, por isso o alerta.

Já outras podem causar problemas à estrutura do imóvel, como por exemplo, os cupins, que estragam as madeiras, e também os ratos que costumam roer fiações, cabos e até mesmo concreto, causando um enorme prejuízo ao empreendimento.

Desta forma, é muito importante fazer a dedetização, para combater as pragas, evitar a transmissão de doenças e também a degradação do imóvel.

Periodicidade

Periodicidade

A primeira informação é que a dedetização precisa fazer parte do calendário de manutenção do condomínio, sendo assim, precisa ser feita com uma certa periodicidade. Normalmente, é um serviço que costuma ser realizado semestralmente, mas irá depender da necessidade do empreendimento.

 síndico também deve consultar o Regimento Interno e a Convenção do condomínio para verificar se existe alguma norma que fala sobre esse assunto e sobre sua periodicidade.

Sem contar que, a frequência da dedetização pode variar também com o método e o produto que foi utilizado. Neste caso, é indicado consultar a empresa especializada e entender melhor qual o procedimento que foi feito e os produtos que foram usados.

Outra questão é que se caso apareça um número considerado de pragas antes de chegar a data da próxima dedetização, o síndico pode tomar providências e não deixar o problema ficar maior e mais grave, e impedir a infestação.

Cuidados

Veja alguns cuidados que o gestor do condomínio pode ter antes das dedetizações

Veja alguns cuidados que o gestor do condomínio pode ter antes das dedetizações:

  • Escolha uma empresa especializada: é importante que a empesa escolhida deve ter as licenças de funcionamento em dia, como também o restante das documentações, e também o do responsável técnico;
  • Veja os métodos utilizados: antes de fechar o serviço, pesquise sobre o assunto, verifique o que está sendo utilizado no mercado, e veja qual melhor irá se encaixar na realidade do seu condomínio. Peça a empresa contratada informações dos cuidados que devem ser tomados durante e após a dedetização;
  • Limpeza: é recomendado fazer uma boa limpeza no condomínio antes da dedetização, para que o local esteja pronto para receber a aplicação dos produtos químicos;
  • Aviso ao moradores: é primordial avisar aos moradores e funcionários que a dedetização irá ser feita, para que todos tenham conhecimento e aquelas mais frágeis as substâncias possam tomar mais cuidado.

A dedetização em condomínios é indispensável e faz parte da rotina de manutenção do imóvel, tanto para garantir bem-estar como para garantir segurança e a saúde dos condôminos e profissionais.

É importante também que o síndico trabalhe com medidas preventivas, para que não seja responsabilizado judicialmente caso isso afete algum condômino.

 

 

Tohea Ranzetti – Síndico Legal

 

LEIA TAMBÉM

FAÇA PARTE DOS NOSSOS GRUPOS 

👉 GRUPOS WHATSAPP👈

👉GRUPO TELEGRAM👈

👉INSCREVA-SE NO YOUTUBE

Artigo anteriorIncêndio atinge 11 carros em garagem de condomínio no bairro Jardim Botânico, em Porto Alegre
Próximo artigoCondomínios em Portugal: “A nova lei ainda está bastante desfasada da realidade”

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

9 + 17 =